Research CaixaBI reduz avaliação da EDP em 10%

CaixaBI reduz avaliação da EDP em 10%

O CaixaBI reviu as suas estimativas, e consequente avaliação, da EDP. O corte, face ao anterior preço-alvo é de 10%, mas a eléctrica mantém uma margem de valorização.
CaixaBI reduz avaliação da EDP em 10%
Sara Antunes 08 de janeiro de 2018 às 07:20

"Revimos a nossa avaliação e estimativas para a EDP, principalmente, para incluir os últimos dados divulgados, as alterações no portfolio de activos e o impacto negativo da nova regulação", explica a analista Helena Barbosa do CaixaBI numa nota de análise a que o Negócios teve acesso.

 

Além destas revisões, a nova avaliação da eléctrica tem incorporada também a revisão feita à EDP Renováveis, bem como o valor de mercado da EDP Brasil e o facto de esta avaliação ter por base o final de 2018.

 

Estas questões levaram a uma avaliação de 3,15 euros, o que representa um corte de 10% face ao anterior preço-alvo de 3,50 euros. Ainda assim, o novo "target" confere às acções um potencial de subida de 5,21% face ao valor de fecho da EDP (2,994 euros) na última sexta-feira, 5 de Janeiro. O que leva a que a recomendação seja de "acumular".

 

"No último ano, a EDP enfrentou condições climatéricas muito desfavoráveis e foi penalizada por notícias relacionadas com alterações regulatórias. Para este ano, prevemos que os resultados da empresa estejam sobre pressão, sobretudo, devido à desconsolidação do negócio de distribuição de gás e ao impacto negativos das medidas incluídas na revisão regulatória", sublinha a nota de análise.

 

A analista destaca ainda, "pela positiva" a "política de dividendos", que já foi reiterada (0,19 euros por acção), o que "assegura um ‘dividend yield’ atractivo" de 6,4% face à actual cotação da eléctrica. A nota de análise realça mesmo que este é "um dos dividend yield mais elevados do sector". A beneficiar a empresa liderada por António Mexia está ainda "o portfólio de activos diversificado".

 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub