Banca & Finanças Chineses entram no BCP através de um nome português: Chiado

Chineses entram no BCP através de um nome português: Chiado

Foi através da Fidelidade que a Fosun comprou a Luz Saúde. Mas, como as áreas de seguros estão fora do negócio dos chineses com o BCP, a compra foi feita por outra sociedade, Chiado de seu nome.
Chineses entram no BCP através de um nome português: Chiado
Reuters
Diogo Cavaleiro 21 de Novembro de 2016 às 07:00

A Longrun Portugal, SGPS, S.A foi a empresa escolhida pela Fosun para, em 2014, comprar 85% da Fidelidade à Caixa Geral de Depósitos.

 

Um ano depois, foi a seguradora a empresa usada pelo grupo chinês, fundado em 1992, na compra da Espírito Santo Saúde através de uma oferta pública de aquisição em que os chineses superaram os três concorrentes.

 

Agora, o conglomerado que detém o Club Med faz uma nova compra em Portugal mas a Fidelidade não é a sociedade compradora, dado que tem um acordo de parceria com a Caixa. Não podeia ser. 

 

A Fosun e o Banco Comercial Português (BCP) podem vir a ter uma parceria na área de seguros mas não na actividade doméstica, segundo o memorando de entendimento assinado entre as duas instituições no âmbito da compra de 16,7% do banco pelo grupo chinês.

 

A Fidelidade, que é detida pela Fosun, continua a trabalhar com a sua accionista minoritária (e antiga dona), a Caixa Geral de Depósitos. O BCP continuará a operar com as seguradoras da belga Ageas, em que se inserem a Ocidental Vida, Pensões, Seguros (não vida) e Médis, com quem tem parcerias de distribuição. 


Assim, o entendimento fechado pela Fosun e pelo BCP foi feito através de uma companhia denominada Chiado, largo onde o grupo chinês tem escritório. Chiado (Luxembourg) S.à r.l. é o nome oficial. 

 

A entrada no banco concretizou-se quatro meses depois do anúncio da intenção de investimento e mais de um ano depois de falhado o concurso de venda do Novo Banco em que a Fosun participou.  




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

os chineses fizeram o negócio do Século, tiveram um desconto no minimo de 85%, as acções estavam a 10 centimos o que dava 7,50 € actuais, quando falaram com o garoto para entrarem no capital do bcp. tudo preparado pelos vigaros, os grandes emprestaram-nas á quadrilha e venderam-nas a descoberto.

Dono dos Burros Há 2 semanas

Aiii mario, o menino está a precisar de umas vergastadas no lombo. Então é publico é mau, é privado é uma maravilha, Explique lá seu asno, como é que o banco do opus-dei Jardim Gonçalves chegou a este estado? Foi o Estado? Os funcionários públicos? os comunistas? ou a ladroagem que você apoia?

mario Há 2 semanas

Finalmente o Banco tem um patrão. Tudo o que foi feito de mal quer neste Banco quer na Caixa deve-se à facto da anarquia que reinou. Esteve sempre ao sabor dos Governantes e não do interesse Público, no caso da Caixa. Quanto ao B C P esperamos todos que haja m+ transparência nos empréstimos.

soros-bq Há 2 semanas

Isto é uma noticia?

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub