Empresas Consórcio liderado pelo SoftBank compra mais de 17% da Uber

Consórcio liderado pelo SoftBank compra mais de 17% da Uber

O SoftBank, juntamente com outros grupos de investidores, vão pagar 9 mil milhões de dólares por uma participação superior a 17% na empresa.
Consórcio liderado pelo SoftBank compra mais de 17% da Uber
Reuters
Negócios 29 de dezembro de 2017 às 08:38

Um consórcio liderado pelo japonês SoftBank chegou a acordo para comprar mais de 17% da Uber por 9 mil milhões de dólares (cerca de 7,5 mil milhões de euros), depois de, na quinta-feira, os accionistas terem aceitado vender as suas acções a um preço com desconto.

De acordo com o Financial Times, o acordo alcançado representa uma grande vitória para o novo CEO da Uber, Dara Khosrowshahi (na foto), devendo desencadear mudanças ao nível da gestão, que consolidarão o seu controlo sobre a plataforma de transportes.

Rajeev Misra, presidente executivo do SoftBank Vision Fund, já informou que o negócio deverá estar concluído em Janeiro.

"Temos uma enorme confiança na liderança e funcionários da Uber e estamos entusiasmados por podermos apoiar a empresa, que continua a reinventar a forma como pessoas e bens são transportados pelo mundo", afirmou.

O FT explica que, nos termos do acordo, o SoftBank pagará cerca de 7,7 mil milhões de dólares por 15% das acções da Uber, comprando uma combinação de acções novas e existentes. O grupo de investimento japonês também vai nomear administradores para dois novos lugares no conselho de administração da Uber.

Os outros membros do consórcio, que incluem o Dragoneer, a Tencent, a TPG e a Sequoia, investirão em conjunto cerca de mil milhões de dólares e terão 2,5% das acções da Uber. No total, ficará nas mãos do consórcio cerca de 17,5% da Uber.

O investimento do consórcio liderado pela SoftBank é composto por duas tranches: a primeira compreende a compra de 1,25 mil milhões de dólares de novas acções ao preço da última ronda de financiamento, que avaliou a empresa em 70 mil milhões de dólares; e a segunda, que diz respeito à compra de uma parcela maior de acções aos actuais accionistas da Uber a um preço de 32,93 dólares por título, o que representa um desconto de 30% face ao anterior levantamento de fundos.

"Estamos ansiosos para trabalhar com os compradores para fechar a transacção, que esperamos que irá apoiar os nossos investimentos em tecnologia, estimular o nosso crescimento e fortalecer a nossa governança corporativa", referiu a Uber.

De acordo com o FT, a entrada do consórcio liderado pelo SoftBank reduzirá a influência dos primeiros investidores e fundadores da Uber, incluindo o antigo CEO Travis Kalanick, e alargará o conselho de administração para 17 lugares, mudanças que são vistas como favoráveis para a agenda de Khosrowshahi, que está a preparar a empresa para um IPO (oferta pública inicial) até Outubro de 2019.  




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
uschy Há 2 semanas

Vao já aparecer aqui os ressábiados mal educados e larápios dos taxistas a comentar. Cambada de nojentos. Viva Uber

Observador Há 2 semanas

QUEM DO GOVERNO pela abertura que faz a uma plataforma ilegal vai ter um TACHO nesta empresa? Vê-se pela facilidade que nem pagam as MULTAS, QUE SE está a fazer um arranjinho ... PAGA ZÉ TUGA o ÙLTIMO que feche a porta !EU PAGO MULTAS e UBER vem GOZAR COMIGO .....

pub