Telecomunicações CTT cortam dividendo para 38 cêntimos

CTT cortam dividendo para 38 cêntimos

Tendo em conta a evolução abaixo do esperado dos lucros operacionais, os CTT vão propor um dividendo de 38 cêntimos por acção para o ano de 2017.
CTT cortam dividendo para 38 cêntimos
Miguel Baltazar/Negócios
Sara Ribeiro 31 de outubro de 2017 às 19:04

Os CTT anunciaram que tencionam propor um dividendo relativo a 2017 a rondar os 38 cêntimos por acção, a ser pago em 2018. O que representa um corte de 20,8% face último dividendo pago este ano, de 48 cêntimos por acção.

A empresa justifica esta opção com a evolução do EBITDA abaixo do que era estimada. "A empresa espera agora atingir um EBITDA recorrente de cerca de 20% abaixo do 'guidance' inicial indicado para o ano de 2017. Tendo em conta esta evolução do EBITDA, o conselho de administração tenciona propor um dividendo relativo a 2017 de cerca de €0,38 por acção", lê-se no comunicado emitido à CMVM esta terça-feira, 31 de Oububro.

De Janeiro a Setembro, os CTT registaram um resultado líquido de 19,5 milhões de euros, o que representa uma queda de 57,6% face aos valores obtidos em igual período do ano passado.

O EBITDA também recuou 25% para 68 milhões de euros, uma performance explicada, a par com a do lucro, com "a perda das receitas da Altice, da queda acentuada nos dois últimos trimestres do tráfego de correio e dos gastos associados ao processo de ajustamento das redes ao crescimento acelerado do Banco CTT e do negócio de Expresso e Encomendas".

A aquisição da Transporta colocou pressão nos resultados dos CTT com impacto no EBITDA de cerca de 2 milhões de euros, dado o processo de restruturação e integração em curso.

Os gastos operacionais recorrentes totalizaram 449,8 milhões de euros, um aumento de 23,7 milhões de euros (+5,6%) face ao ano anterior, incluindo 5,3 milhões no Banco CTT e 6,4 milhões na Transporta.

No entanto, os CTT adiantam que "estão já a ser trabalhadas medidas de reajuste da capacidade instalada às reais necessidades operacionais que permitam uma redução relevante de gastos a serem apresentadas até ao final do ano".

 




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
CTT só irá estabilizar nos 3,50 € Há 2 semanas

As ações dos CTT, com um EBITDA anual extrapolado para 91,9 M€ (68,9 M€ nos 9M2017), darão um target avaliado pelo EBITDA anual descontado, menos a dívida liquida, a dividir pelas 150 milhões de ações, de 3,50 €.
Por isso, prevejo que CTT só estabilize pelos 3,50 €.

Vendam este lixo Há 2 semanas

Comprem Mota Engil, que ate Maio ,ainda vao recuperar o que perderam neste lixo

CTT Há 2 semanas


Como quase todas as empresas, os ctt na situacao que se encontra, mais um emprestimo para pagamento dos dividendos.

Anónimo Há 2 semanas

CTT precisam reestruturação profunda redução na contratação, juntar centros distribuição, colocando os carteiros que chefiam a distribuir e acabar com contratados que os substituem, reduzir lojas passando para postos, passar lojas a franchising, reduzir responsáveis e viaturas lising, urgente.....

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub