Empresas CTT podem rescindir com 300 trabalhadores

CTT podem rescindir com 300 trabalhadores

A empresa liderada por Francisco Lacerda abriu a porta à saída de 300 trabalhadores, avança a revista Sábado.
CTT podem rescindir com 300 trabalhadores
Bruno Simão/Negócios
Negócios 15 de novembro de 2017 às 19:34

A empresa dos correios de Portugal, que se encontra em reestruturação, vai avançar com um programa de rescisões que pode contemplar até 300 trabalhadores, segundo a Sábado. A operação, no âmbito da reestruturação dos CTT, será feita através de rescisões por mútuo acordo e reformas antecipadas, soube aquela publicação.

 

Os CTT, "após algumas solicitações de reformas antecipadas, comunicaram às estruturas representativas dos trabalhadores que estão disponíveis para, em duas etapas distintas, acolher até cerca de 300 rescisões por mútuo acordo e reformas antecipadas", disse fonte oficial da empresa à Sábado.

 

A mesma fonte indicou que a empresa, privatizada em 2014 e liderada por Francisco Lacerda (na foto), vai "[procurar] garantir que essas situações se reflictam mais em áreas de maiores concentrações de trabalhadores e menos em zonas interiores do país".

 

Além das rescisões, duas outras fontes ouvidas pela Sábado referiram que vai haver fecho de balcões, podendo ser encerradas "dezenas" de lojas. Foi avançado o número de 75 encerramentos, mas a empresa negou à revista que haja uma decisão tomada nesse sentido.

 

"Os CTT tomarão sempre as decisões que tiverem que tomar em matéria de gestão, mas a primeiras pessoas a conhecê-las serão sempre os colaboradores e os accionistas não o saberão pela comunicação social", afirmou fonte oficial à Sábado.

No passado dia 2 de Novembro, em chamada de videoconferência com analistas, os CTT revelaram que, no âmbito do processo de reestruturação anunciado, poderá incluir-se a atribuição da gestão de estações de correio a entidades terceiras.

 

As acções dos CTT atingiram recentemente sucessivos mínimos históricos, depois de terem reportado uma queda superior a 50% dos lucros nos primeiros nove meses do ano e terem anunciado um corte de 10 cêntimos no dividendo a distribuir aos accionistas. 

Na sessão desta quarta-feira, os CTT encerraram a somar 0,60% para 3,18 euros, se bem que durante a sessão tenham estabelecido um novo mínimo histórico ao tocarem nos 3,09 euros. 




A sua opinião13
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 14 horas

A empresa pública de correios sueco-dinamarquesa Postnord decidiu em Março de 2017 despedir 4 mil excedentários cujo posto de trabalho já não se justificava naquela organização do sector público escandinavo. Naquela região nórdica os direitos sindicais adquiridos não se sobrepõem aos dos contribuintes e cidadãos em geral. É 1º Mundo onde não reinam a iniquidade e a insustentabilidade. Despedem excedentários, extinguem postos de trabalho que já não se justificam, adoptam as melhores práticas e tecnologias. A economia é robusta, cria valor e enriquece, a sociedade é justa, equilibrada e feliz. "Postnord to cut up to 4,000 jobs in Denmark" www.reuters.com/article/postnord-jobs-idUSL5N1GL4QG

comentários mais recentes
Anónimo Há 4 semanas

Isso é tudo muito lindo mas vão lá ver o valor das indemnizacoes na suecia e dinamarca, alem de que 99% dos trabalhadores que estes atrasados querem despachar, são doentes cronicos e outros que tiveram acidentes de trabalho. Descartem-nos mas desmbolsem como fez a banca.

Anónimo Há 14 horas

No mandato presidencial do Presidente Barack Obama, o U.S. Postal Service despediu muitos milhares de colaboradores excedentários e regressou aos há muito esquecidos lucros trimestrais. Economias de mercado ricas e desenvolvidas, capazes de criar valor consistentemente, não se deixam capturar por perniciosos interesses sindicais porque as reais oferta e procura de mercado não são opcionais. "USPS Records First Profit in Five Years as Obama Calls for Shedding 12K Postal Jobs" www.govexec.com/management/2016/02/usps-records-first-profit-five-years-obama-calls-shedding-12k-postal-jobs/125825/

Anónimo Há 14 horas

Em Inglaterra, economia muito rica e desenvolvida numa sociedade justa, livre e amplamente democrática, o Royal Mail tem automatizado os serviços, que são crescentemente automatizáveis, e despedido excedentários com a mesma naturalidade com que um ciclista com corpo são em mente sã em Cascais se desviaria do percurso que o levaria à estatelar-se fatalmente nas profundezas da Boca do Inferno. "The group - which last month saw its privatisation complete with the sale of the Government's final stake for just over £591 million - is also axing jobs and reducing costs across the business to help shore up its balance sheet, cutting its workforce by nearly 3,000 in the past six months alone." www.gazetteandherald.co.uk/news/towns/swindon/14093847.Parcel_machine_destined_for_Swindon_as_Royal_Mail_job_cuts_expected/

Anónimo Há 14 horas

Economias de mercado ricas e desenvolvidas como a do Japão, capazes de criar valor consistentemente, não se deixam capturar por perniciosos interesses sindicais porque as reais oferta e procura de mercado não são opcionais. "The ministry has planned to slash some 15,000 postal service jobs by fiscal 2005." postandparcel.info/4689/news/japanese-postal-service-urged-to-cut-jobs-consolidate-post-offices/

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub