Transportes Estado injecta 11 milhões na CP

Estado injecta 11 milhões na CP

A alteração ao capital estatutário foi divulgada esta quarta-feira pela empresa de transporte ferroviário. É a terceira no actual trimestre.
Estado injecta 11 milhões na CP
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 27 de dezembro de 2017 às 19:27

A CP - Comboios de Portugal viu o seu capital ser reforçado pelo Estado em mais 11 milhões de euros, passando o capital estatutário a ser de 3.850 milhões de euros.

 

A injecção, dada a conhecer esta quarta-feira-feira, 27 de Dezembro, em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), segue-se a uma outra injecção de 418,29 milhões de euros anunciada no passado dia 11 de Dezembro.

 

Segundo os dados constantes no site do regulador, este é o terceiro reforço de capital levado a cabo pelo Estado neste trimestre na empresa de transporte ferroviário. No passado dia 23 de Outubro a empresa comunicou o aumento do capital em 16,8 milhões de euros.

 

No final de Junho, aquando da nomeação do novo presidente do Conselho de Administração, Carlos Nogueira, a imprensa revelou que o Estado tinha colocado na CP - Comboios de Portugal mais 12,4 milhões de euros, totalizando em mais de 900 milhões o valor usado nos últimos três anos para capitalizar a empresa pública que gere a rede de comboios nacional, refere a Lusa.

 

Na altura, numa resposta ao Jornal de Negócios, a assessoria de imprensa do Ministério das Infraestruturas disse que o aumento de capital estatutário da CP, em 12,4 milhões de euros, se destinava a suprir as necessidades de capital da empresa.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ventura Santos Há 3 semanas

Se não existissem "outros" interesses, declarava falência e começava de novo, com os ativos e com os trabalhadores que fossem necessários nas atividades que tivessem sido definidas para operar ... 11 milhões não são nada para a atual CP. Até podiam ser 11 mil milhões ...

Ventura Santos Há 3 semanas

11 Milhões ?! Num buraco desses cabe muito mais ! É injectar, injectar, injectar. Vá, força, qu'aguenta !
Falando a sério, quando é que esta empresa começa a ser gerida como deve ser ao fim de 43 anos (157 anos) de lixos ? Claro que não é cortar e cortar, é saber gerir, aproveitar patrimónios e o

Os culpados das privatizações são estes . . . Há 3 semanas

Os verdadeiros culpados das privatizações das empresas públicas são estes "trabalhadores" comunas preguiçosos cheios de mordomias e ineficiências que teimam permanentemente demonstrar e relembrar que o ser "empresa pública" só serve para castigar e desbaratar o dinheiro do contribuinte !

são só mais 15% do capital social Há 3 semanas

Vê-se mesmo que para o aCcionista estado o dinheiro não custa a ganhar nem é suado. e para os "gestores" da massa falida tambem não. 460 milhões dá quanto per-cápita de trabalhadores da CP ? 1000 euros por trabalhador ? PORQUE É QUE OS FAMILIARES VIAJAM DE BORLA ?

ver mais comentários
pub