Automóvel Fiat "responde" a Trump com investimento de mil milhões nos EUA

Fiat "responde" a Trump com investimento de mil milhões nos EUA

O investimento em duas fábricas nos Estados Unidos vai criar 2 mil postos de trabalho.
Fiat "responde" a Trump com investimento de mil milhões nos EUA
Bloomberg
Nuno Carregueiro 09 de Janeiro de 2017 às 15:15

Numa altura em que as fabricantes de automóveis mundiais estão a ser pressionadas pelo presidente eleito dos Estados Unidos a investir no país, a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) anunciou a expansão de duas fábricas.

 

A FCA vai investir mil milhões de dólares nas unidades fabris que detém no Michigan e no Ohio, onde vai produzir um novo sport utility vehicle (SUV) e possivelmente uma "pickup" que é actualmente produzida no México.

 

Este investimento, que vai criar dois mil novos postos de trabalho, já foi elogiado por Donald Trump, que mais uma vez recorreu à rede social Twitter, aproveitando para agradecer também à Ford. A companhia norte-americana tinha na semana passada anunciado um investimento de 700 milhões de euros no Michigan e a suspensão de um projecto no México.

 

Trump já criticou quase todas as grandes companhias automóveis do mundo – a Toyota foi a última – ameaçando-as com grandes impostos aduaneiros caso optassem por produzir automóveis no México para os vender nos EUA.

 

 

 

Muitos construtores automóveis estão a aproveitar também o Salão de Detroit para anunciar novas rondas de investimentos nos EUA e mostrar o compromisso com o mercado norte-americano. No sábado a Daimler anunciou que a empresa alemã iria investir 1,3 mil milhões de dólares para reforçar a produção na fábrica de Alabama.

 

De acordo com a Reuters, que cita fontes próximas da companhia, o anúncio do investimento efectuado hoje nada tem a ver com as ameaças de Trump e aumentar impostos às empresas do sector. 




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
pertinaz Há 1 semana

E TRUMP É MALUCO...

QUE FARIA SE NÃO FOSSE...

Luis Há 2 semanas

Ou o Estado manda alguma coisa ou pagamos todos para os burocratas de Bruxelas. O Trump parece não ter medo. Os britânicos, esses, nunca tiveram. E nós... nós como vivemos de esmolas, aceitamos tudo o que os outros disserem. Nisso o Cavaco e o PSD foram mestres: ninguém lambeu botas como eles.

Anónimo Há 2 semanas

Dentro de pouco tempo este homem vai dar provas como se defende o Povo Americano. A criação de emprego, contrariamente ao que a maioria dos países Europeus fazem, estão sempre do lado dos grandes grupos econômicos que no final ainda vão pagar impostos nos paraísos fiscais sediados na Europa,É vergon

Anónimo Há 2 semanas

Google é o teu amigo -> "President-elect Donald Trump said he pushed Apple CEO Tim Cook to bring manufacturing jobs back to the U.S.."

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub