Empresas GNB Vida passa de prejuízos a lucros de 5,4 milhões no primeiro semestre

GNB Vida passa de prejuízos a lucros de 5,4 milhões no primeiro semestre

A GNB Vida teve lucros de 5,4 milhões de euros no primeiro semestre do ano, o que compara com os prejuízos de 49,5 milhões de euros obtidos no mesmo período de 2016, divulgou a seguradora.
GNB Vida passa de prejuízos a lucros de 5,4 milhões no primeiro semestre
David Martins/Correio da Manhã
Lusa 11 de agosto de 2017 às 18:55

A informação consta do relatório e contas consolidado do primeiro semestre da seguradora que pertence ao Novo Banco, disponível no website da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), que justifica os lucros sobretudo com o "contributo da actividade financeira".

 

A GNB Vida (ex-BES Vida) está em processo de venda, tendo dito o Novo Banco, no início do mês, que espera conseguir acordo para o negócio até final deste ano.

 

Já em 2015, no plano de recapitalização apresentado ao Banco de Portugal, o Novo Banco dava a indicação de que queria alienar a antiga empresa de seguros do ramo vida do Banco Espírito Santo (BES).

 

Nas contas de 2016, o Novo Banco tinha já constituído uma provisão de 135 milhões de euros para eventual desvalorização do activo na sequência da sua alienação.

 

O Novo Banco, que está em processo de venda ao fundo de investimento norte-americano Lone Star, teve prejuízos de 290,3 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, uma melhoria face aos 362,6 milhões de euros negativos registados entre Janeiro e Junho do ano passado.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub