Empresas Governo aprova incentivos fiscais para o investimento da Bosch de Braga

Governo aprova incentivos fiscais para o investimento da Bosch de Braga

A empresa vai investir 48,1 milhões de euros no aumento da capacidade da unidade de Braga e na produção e introdução no mercado de produtos inovadores no domínio da multimédia automóvel.
Governo aprova incentivos fiscais para o investimento da Bosch de Braga
Negócios 09 de outubro de 2017 às 12:33

O Governo deu luz verde à concessão de incentivos fiscais ao projecto de investimento de 48,1 milhões de euros da Bosch Car Multimedia Portugal, para aumentar a capacidade da sua unidade fabril em Braga e introduzir produtos inovadores no domínio da multimédia automóvel.

"Dado o seu impacto macroeconómico, considera-se que o Projecto reúne as condições necessárias à concessão de incentivos financeiros previstos para os grandes projectos de investimento", lê-se no despacho publicado esta segunda-feira, 9 de Outubro, em Diário da República.

O despacho assinado pelo ministro da Economia e pelo secretário de Estado da Internacionalização aprova a minuta do contrato de investimento entre a AICEP, a Robert Bosch, GmbH, a Robert Bosch, S. A. e a Bosch Car Multimedia Portugal, S. A., "que tem por objecto um projecto de investimento que consiste no aumento da capacidade da unidade fabril desta última sociedade, sita em Braga".

"As soluções inovadoras a aplicar no âmbito do Projecto resultam de actividades de I&D realizadas intramuros ou em parceria com a Universidade do Minho e compreendem uma unidade central de gestão de infotainment com características claramente distintivas face à oferta preexistente no mercado internacional, bem como, um sistema patenteado de direct bonding para painéis de instrumentos digitais com funções de assistência à condução que permitem alcançar melhorias significativas da mobilidade e da segurança rodoviária e representam uma inovação para o mercado internacional" concretiza o diploma.

Segundo o mesmo documento, o investimento terá um impacto "positivo" na região Norte, principalmente na elevação da riqueza gerada localmente, na criação indirecta de postos de trabalho e no efeito de arrastamento sobre outras empresas nacionais, em particular sobre os fornecedores de componentes plásticos, metálicos e electrónicos.

"O montante de investimento em causa ascende a cerca de 48,1 milhões de euros, prevendo-se com este Projecto o alcance, no ano de 2025, de um volume de negócios de cerca de 7,3 mil milhões de euros e de um Valor Acrescentado Bruto de cerca de 1,1 mil milhões de euros, ambos acumulados desde 1 de Janeiro de 2015, bem como, a criação, até 31 de Dezembro de 2019, de 464 novos postos de trabalho directos e permanentes, dos quais 69 são altamente qualificados", acrescenta o despacho.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Camponio da beira 09.10.2017

Esse incentivo existe para as empresas portuguesas, ou foi uma excepção ilegal e conseguida à base de suborno

pub