Media Juncker avisa: Facebook e Google têm de combater notícias falsas

Juncker avisa: Facebook e Google têm de combater notícias falsas

A Comissão Europeia garante que vai acompanhar de perto as medidas anunciadas pelas gigantes tecnológicas para travar a propagação de notícias falsas, segundo Jean-Claude Juncker.
Juncker avisa: Facebook e Google têm de combater notícias falsas
Negócios 26 de dezembro de 2016 às 09:39

"Empresas como o Facebook e a Google têm de combater a informação falsa na internet de forma vigorosa". O aviso foi feito por Jean-Claude Juncker em entrevista ao título alemão Funke Mediengruppe, citado pela Bloomberg.

O presidente da Comissão Europeia sublinhou ainda que as tecnológicas devem desenvolver "uma certa ambição" na luta contra as notícias falsas, tendo em conta que a credibilidade é o seu maior activo.

Por isso, assegura que Bruxelas vai acompanhar de perto a situação e monitorizar como é que as empresas estão a implementar os planos já anunciados para estabelecer padrões. "Liberdade também significa responsabilidade", apontou.

A recente polémica sobre a eventual influência da proliferação de notícias falsas no Facebook e no Google na vitória de Donald Trump voltou a trazer para o centro do debate político e mediático a importância das redes sociais na difusão das notícias.

O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, reagiu de imediato às declarações, salientando a importância do papel da sua rede social como "árbitro da verdade".

As tecnológicas já vieram a público garantir que estão a acompanhar o assunto para tentar travar a crescente tendência que se tem verificado da publicação de notícias falsas, nomeadamente com o impedimento do acesso dos distribuidores não-fidedignos à rede AdSense.

O Facebook também apresentou um plano com sete pontos para combater o surgimento de notícias falsas na rede social. A melhoraria da verificação da parte de terceiros através da contratação de organizações especializadas em fazer "fact checking" e da opinião de jornalistas e de outros membros do sector dos media são alguns dos pontos do plano divulgado por Zuckerberg.




A sua opinião12
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 07.01.2017

???? ?? ?????????? ??????????? ?????? ?????? ?? ????????? ??? ??????? ???????, ?? ???????, ??? ? ?????? ??????? ??? ??????????? ??????????? ??????? ????? ????????? ? ?????? ?????????? ??????, ? ????? ?? ??????????????? ??? ?????????? ???????????????? ?????????? ?????? ????????? ? ???????? ????? ????

Vasco Pinto 26.12.2016

e assim impedem que a humanidade saiba a verdade por que as noticias falsas são eles que as divulgam para enganar a humanidade e executarem os seus planos de controle e despovoamento da terra os illuminatis no seu melhor

pertinaz 26.12.2016

TÊM É DE PAGAR IMPOSTOS NOS PAÍSES ONDE VENDEM OS SERVIÇOS

ESTE GATUNO FOI ESPECIALISTA EM ACORDOS TRAMBIQUEIROS COM AS MULTINACIONAIS

DESVIOU IMPOSTOS DE DEZENAS DE PAÍSES EM BENEFÍCIO DO LUXEMBURGO...

...E AINDA FALA DE DURÃO BARROSO...

É O QUE DÁ TER ALCOÓLICOS À FRENTE DA UE...

Cantaropartido 26.12.2016

Este anormal, em vez de lutar por causas empreendedoras preocupa-se com noticias falsas. Esta é uma das razões pelas quais a Europa está caduca.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub