Construção Mota-Engil fecha contratos de 430 milhões em Moçambique e Angola

Mota-Engil fecha contratos de 430 milhões em Moçambique e Angola

A construtora foi alvo de duas adjudicações em África: uma delas na área dos minérios, em Moçambique, outra na renovação de ruas, em Angola. Em bolsa, Setembro tem sido um mês de ganhos para a Mota-Engil.
Mota-Engil fecha contratos de 430 milhões em Moçambique e Angola
Diogo Cavaleiro 26 de setembro de 2017 às 20:22

A Mota-Engil voltou a crescer em Moçambique e Angola. Os dois contratos adjudicados estão avaliados em cerca de 520 milhões de dólares, cerca de 437 milhões de euros ao câmbio actual.

 
"A Mota Engil S.G.P.S., S.A. informa sobre a adjudicação à Mota-Engil África de um contrato em Moçambique com um valor total de cerca de 445 milhões de dólares [374 milhões de euros] e a assinatura pela Mota-Engil África de um contrato, neste país, com um valor de 76 milhões de dólares [64 milhões de euros]", revela a companhia presidida por Gonçalo Moura Martins em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

 

Moçambique, que representa a principal adjudicação destes dois negócios, foi um mercado em que a construtora até perdeu negócio nos primeiros seis meses do ano. "O projecto em Moçambique, adjudicado pela Vale, inclui a execução de serviços mineiros que englobam a perfuração, fornecimento de explosivos, carga e transporte de estéril e carvão, no projecto mineiro de extracção de carvão em Moatize, de que a adjudicadora é concessionária", indica a mesma fonte, que frisa a ligação à brasileira Vale, "uma das maiores mineiras do mundo e a maior empresa privada da América Latina".

 

"A adjudicação pelo governo da província de Luanda, em Angola, corresponde à terceira fase do projecto para a renovação das ruas de Luanda, incluindo a reparação de buracos, de passeios e lancis, a colocação de placas de sinais de trânsito e a limpeza de colectores, entre outros serviços e fornecimentos", especifica ainda a Mota-Engil no comunicado datado desta terça-feira, 26 de Setembro.

 

África é um dos mercados em que a empresa tem apostado, sendo que ainda este mês anunciou ter assegurado contratos de 320 milhões de euros na área de resíduos na Costa do Marfim.

 

Mota-Engil estrela em Lisboa

 

Além do fecho de contratos, o mês de Setembro tem sido positivo para a cotada da área da construção em bolsa. A Mota-Engil ganhou 19% nas 18 sessões que se viveram este mês, sendo que a evolução negativa foi sentida em apenas três delas.

 

Uma das quedas da companhia foi registada esta terça-feira, com uma descida de 1,83% para 2,897 euros. A Mota-Engil ganha 80% desde o início do ano, sendo a que mais valoriza entre as empresas que compõem o PSI-20, que avança 14%.


(Cotação de fecho de terça-feira corrigida)




pub