Empresas Orey Antunes passa de perdas a lucros no primeiro trimestre

Orey Antunes passa de perdas a lucros no primeiro trimestre

A Orey Antunes registou lucros de 49 mil euros entre Janeiro e Março deste ano, contra um prejuízo de 229 mil euros no período homólogo de 2016.
Orey Antunes passa de perdas a lucros no primeiro trimestre
Miguel Baltazar
Carla Pedro 28 de junho de 2017 às 22:33

A Orey Antunes reportou um resultado líquido positivo de 49 mil euros no primeiro trimestre deste ano, uma melhoria face às perdas de 229 mil euros registadas no mesmo período de 2016.

 

No ano passado, recorde-se, a Orey Antunes reportou um resultado líquido negativo no valor de de 12,79 milhões de euros, contra lucros de 3,048 milhões de euros em 2015, tendo referido que o ano de 2016 foi de reestruturação e transformação para o Grupo Orey. Agora, o início de 2017 já arrancou positivo.

"Durante primeiro trimestre de 2017 já se começaram a sentir os primeiros resultados do processo de reestruturação e transformação implementado pelo Grupo Orey, quer ao nível da tendência das receitas e dos drivers que as compõem quer ao nível da evolução dos custos operacionais e financeiros", sublinha a empresa no comunicado do relatório e contas enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

No entanto, o EBITDA (resultados antes de gastos financeiros, impostos, depreciações e amortizações) deteriorou-se em 54,7%: foi de 1,404 milhões de euros entre Janeiro e Março, contra 3,102 milhões de euros um ano antes.

Do lado positivo, a empresa destaca também, neste documento, o crescimento da base de clientes, quer em Portugal (+3,5% no primeiro trimestre de 2017 face ao mesmo período de 2016, para 4.321 clientes) quer em Espanha (+7,1% no 1T17 face ao 1T16 para 3.230 clientes), "o que continua a demonstrar a capacidade da Orey Financial em reter a sua base de clientes e em simultâneo em atrair novos clientes".

 

Este desempenho "demonstra ainda que a aposta estratégica de continuar a desenvolver a atividade financeira em Espanha está a dar frutos, sendo que o Grupo continua a considerar este um mercado de elevado potencial de crescimento", acrescenta.

Durante 2016 e início de 2017, a Orey "implementou um plano de reorganização para reduzir significativamente os custos de modo a reequilibrar os seus resultados operacionais; reposicionar a sua oferta comercial; e implementar uma nova estrutura de balanço através da venda de activos e renegociação dos termos e condições dos seus mais importantes instrumentos de dívida, incluindo obrigações e dívida bancária, com o objectivo de aumentar os prazos de vencimento e reduzir o custo da dívida", refere a empresa.

 

O plano de reorganização abrangeu também outras áreas, nomeadamente "o contacto extensivo com os clientes da Orey Financial visando o restabelecimento da relação comercial e um enfoque especial nas iniciativas para rejuvenescer a equipa comercial e aumentar a sua motivação", diz o relatório e contas.

 

"Considerando que este plano de corte de custos e reorganização está já largamente executado, o enfoque está agora a investir no crescimento orgânico", sublinha a Orey.

A Orey salientou no passado dia 15 de Junho que tem vindo a posicionar-se mais recentemente como uma sociedade de investimentos, "tendo alargado a sua actuação ao sector financeiro, o qual elegeu como estratégico".

 

Na área financeira, o Grupo Orey tem apostado nas geografias portuguesa e espanhola, mas mantém a sua presença nas mais diversificadas áreas em múltiplos países – havendo, no entanto, estreita ligação ao Brasil, a Angola e a Moçambique.

 

O grupo Orey, liderado por Duarte d'Orey (na foto), tem presença no sector financeiro em Portugal e Espanha através da sua subsidiária Orey Financial.

 

No que respeita a Espanha, tinha a sua presença através do Banco Inversis – depois de, a 8 de Janeiro de 2016, ter comprado 49,99% do mesmo por 21,74 milhões de euros – mas vendeu essa posição em Julho desse ano à Banca March, tendo passado então a operar no país vizinho através da Orey Financial.

(notícia actualizada às 22:49)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub