Empresas Portugal melhor que a Alemanha e os EUA para fazer negócios

Portugal melhor que a Alemanha e os EUA para fazer negócios

A conclusão é da revista Forbes, que coloca o país entre os 20 que reúnem melhores condições no mundo para o desenvolvimento de actividade empresarial no próximo ano.
Paulo Zacarias Gomes 23 de Dezembro de 2016 às 13:09

O ranking da revista Forbes coloca Portugal entre os 20 países do mundo mais habilitados para fazer negócios em 2017, à frente de países como os Estados Unidos, a maior economia global, e da Alemanha, a principal economia da Zona Euro.


De acordo com a lista, que conta com 139 nações e foi divulgada esta semana, Portugal está em 19.º lugar, enquanto a Alemanha ficou em 21.º, os EUA em 23.º, França em 26.º e Espanha em 29.º. Um elenco que é liderado pela Suécia e que conta com mais 13 países europeus. A Itália, terceira maior economia do euro, está em 42.º lugar. 


Os Estados Unidos continuam a cair no ranking, penalizados – justifica a publicação - pela burocracia e por limitações na liberdade monetária de comércio. Em 2006 – ainda no consulado de George W. Bush – o país chegou a ocupar o primeiro lugar no ranking, antes de a crise de 2008 ter levado a Administração Obama a avançar com mais de 180 regulamentos empresariais. E o prometido proteccionismo do presidente eleito, Donald Trump, pode piorar ainda mais o cenário, estima a revista.

Portugal lidera na liberdade individual (está em primeiro lugar) e está também bem colocado na liberdade monetária (é o quinto) e liberdade de comércio (na sétima posição). Já a performance bolsista atira o país para o final da primeira metade da tabela, enquanto a protecção do investidor põe o país a meio do ranking.

A revista recorda o percurso feito pela economia portuguesa desde a adesão à então CEE até à fase pós-terceiro resgate da troika, referindo-se ao Governo de António Costa, socialista de "centro esquerda", como tendo sinalizado que vai reverter os cortes de despesa associados à austeridade, enquanto se mantém dentro dos objectivos orçamentais da União Europeia."

Suécia lidera

A Suécia sobe quatro lugares num ano, chegando ao topo pela primeira vez, com a Forbes a referir o trabalho de desregulamentação, contenção orçamental e cortes no Estado social realizados nos últimos anos, além do papel de startups tecnológicas (Skype ou Spotify, e de multinacionais como a IKEA, a Volvo, a Ericsson ou a H&M.

Nova Zelândia, Hong Kong, Irlanda e Reino Unido fecham, com a Suécia, o top 5 desta lista. A encerrar o ranking, como piores locais para a realização da actividade empresarial, estão o Chade, a Gâmbia, o Haiti, o Yemen e a Venezuela.

Este é o 11.º ranking anual da revista, que analisa 11 factores: direitos de propriedade, inovação, impostos, tecnologia, corrupção, liberdade (pessoal, de comércio e monetária) burocracia, protecção de investimento e desempenho do mercado accionista e tendo em conta relatórios de entidades como o Banco Mundial ou o Fórum Económico Mundial.




A sua opinião21
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado geo@geopress.org Há 3 semanas

Portugal é o maior país do mundo para se investir! - 10 milhões de portugueses pedem Socorro aos Advogados & Jornalistas, a sério, de outras partes do mundo. - Pois, em Portugal (no âmbito de uma investigação cientifica nestas duas classes, desde 2004) a esmagadora maioria, destes "profissionais" são "atores" ou seja: representam que são profissionais. Mais, uma grande parte são meros funcionários das empresas que lhes pagam. - Nestas duas categorias profissional, há um misto de MEDO e falta de COMPETÊNCIA. - O medo é devido a perda do emprego (geralmente é um "tacho") e a competência tem a ver com o péssimo e hipócrita nível de ensino (Direito e Jornalismo) em Portugal, desde 1290, ano de início da primeira Universidade em Portugal. - D. Dinis bem que tentou melhorar a classe dos Advogados, mas sem sucesso. - Escrever no Google o seguinte: ENDOECONOMIA (um projeto real, boicotado pela imprensa) - Para finalizar afirmo: "Para viver honestamente em Portugal - só com um bom advogado!"

comentários mais recentes
Verônica Há 2 semanas

Gostei muito da matéria,pois pretendo morar em Viana do Castelo ou Porto e ,trabalhar no ramo da beleza(até investir no próprio negócio).

nin Há 3 semanas

Já chegou o 1º de Abril?

anonimo Há 3 semanas

SE PORTUGAL É ASSIM BOM NOS NEGOCIOS, MELHOR QUE OS EUA E ALEMANHA, Porque é que estamos na merd@?Será os submarinos,os f16, os heli russos,carros de combate da policia,os negocios dos bancos,estaleiros viana? Somos sim, um pais de corruptos, de gente sem vergonha e sem valores

Anónimo Há 3 semanas

Se portugal é assim tão bom nos negocios,melhor que os eua e alemanha. Porque é que estamos na merd@?S/ somos assim bons deviamos estar riquissimos, onde está o erro?Nos submarinos?Nos carros de combate da policia? N/ helis russos?N/ caças?Somos uma cambada de aldraboes.ISSO SIM « CORRUPTOS«

ver mais comentários
pub