Turismo & Lazer Residentes em Portugal aumentam deslocações turísticas em 9,6%

Residentes em Portugal aumentam deslocações turísticas em 9,6%

O INE divulgou os números do turismo relativos a quem reside em Portugal e deu conta de um total de 7,63 milhões de deslocações. As de curta duração subiram 11,8%.
Residentes em Portugal aumentam deslocações turísticas em 9,6%
Pedro Zenkl/Correio da Manhã
Alexandra Noronha 30 de janeiro de 2017 às 11:39

Os residentes em Portugal realizaram, no terceiro trimestre de 2016, 7,63 milhões de deslocações turísticas, um aumento de 9,6% face ao período homólogo de 2015, adiantou o INE em comunicado.

Em destaque estão as deslocações de curta duração, que aumentaram 11,8% e correspondem e 52,2% do total. "As deslocações ao estrangeiro cresceram 7,1%, representando 9,4% do total, mas foram as deslocações em território nacional que mais aumentaram neste período: 9,9%" segundo o mesmo documento.


2,5 milhões de deslocações tiveram como objectivo "visitas a familiares e amigos" (32,2% do total), com as viagens por motivos profissionais ou de negócios (359 mil) a manterem o peso relativo face ao período homólogo.


21,3% das dormidas foram em hotéis e similares, avançou o INE. "No terceiro trimestre de 2016, a proporção dos residentes em Portugal que realizou pelo menos uma deslocação turística fixou-se em 36,3%, 2,5 pontos percentuais acima do registo do trimestre homólogo de 2015", referiu a entidade em comunicado.


As viagens domésticas corresponderam a 90,6% do total das realizadas, com 6,9 milhões e reflectindo um aumento de 9,9%.

Quanto a meios de transporte, "o automóvel foi utilizado em 85,4% (6,5 milhões) das deslocações no terceiro trimestre, aumentando em um ponto percentual o seu peso no total", segundo o INE. 


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub