Empresas Sonae Capital aumenta lucros no terceiro trimestre mas perde no saldo dos nove meses

Sonae Capital aumenta lucros no terceiro trimestre mas perde no saldo dos nove meses

A empresa do universo Sonae anunciou um aumento dos lucros e das receitas entre Julho e Setembro deste ano. No acumulado dos primeiros nove meses, passou de ganhos, no período homólogo do ano passado, para prejuízos.
Sonae Capital aumenta lucros no terceiro trimestre mas perde no saldo dos nove meses
Bruno Simão
Carla Pedro 16 de novembro de 2017 às 20:51

A Sonae Capital registou lucros de 3,98 milhões de euros no terceiro trimestre, um aumento de 27,4% face ao resultado positivo de 3,12 milhões que foi reportado no período homólogo de 2016.

Contudo, nos primeiros nove meses, a Sonae Capital registou prejuízos de 500 mil euros, contra lucros de 12,26 milhões um ano antes. Ou seja, no semestre a Sonae conseguiu passar de perdas para ganhos, mas nos nove meses o saldo é negativo.

 

Já o volume de negócios ascendeu a 59,64 milhões de euros, contra 52,71 milhões entre Julho e Setembro do ano passado. Aumentou, assim, 15,3%. Entre Janeiro e Setembro subiu 3,2%, ao passar de 131 para 135,18 milhões de euros.

Por seu lado, o EBITDA (resultados antes de juros, impostos, amortizações e depreciações) foi de 12,15 milhões de euros no terceiro, o que traduz um aumento de 49,6% face ao mesmo trimestre de 2016. No acumulado dos nove meses, cresceu 31,1% para 17,85 milhões.

 

Já no que diz respeito ao EBITDA que exclui provisões do rendimento garantido (ou, seja, excluindo a estimativa do valor actual dos potenciais encargos para o período do rendimento garantido nas vendas imobiliárias no Troia Resort), este ascendeu a 12,19 milhões, contra 8,20 milhões entre Julho e Setembro de 2016 (representando assim uma subida de 48,7%). Nos nove meses, aumentou 30,1% para 18,06 milhões de euros.

De acordo com a empresa, o segmento de hotelaria continua a evidenciar uma performance positiva e uma melhoria dos principais indicadores, nomeadamente taxa de ocupação (+6,3pp) e RevPAR (+13,0%), registando um crescimento de 11,3% e 37,8% no volume de negócios e EBITDA, respectivamente.

Relativamente ao segmento de activos imobiliários, realizou-se um conjunto de escrituras de venda relativas a diversos activos, no montante global de 10,2 milhões de euros. "Assinala-se que ainda se encontram em carteira CPCVs sobre um lote diverso de activos imobiliários, no montante global de 5,4 milhões de euros", salienta a Sonae Capital.

 

"O reforço da posição competitiva de cada um dos nossos negócios continua a gerar resultados positivos ao nível do volume de negócios e respectiva rentabilidade, sendo de assinalar os crescimentos verificados nos segmentos de fitness, hotelaria e energia", sublinha a CEO, Cláudia Azevedo (na foto), no comunicado de resultados enviado à CMVM.

A presidente executiva destaca ainda, na sua mensagem, o facto de o terceiro trimestre de 2017 ter sido marcado pela "integração de um novo negócio - a Adira -, de base portuguesa e que alavanca um dos principais activos e recursos do país, o know-how de engenharia, fortemente vocacionado para o mercado internacional".


(notícia corrigida e actualizada às 22:14 com os valores dos nove meses)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub