Telecomunicações Lucros da Nos sobem 9,3% para 90,4 milhões de euros

Lucros da Nos sobem 9,3% para 90,4 milhões de euros

As receitas da Nos aumentaram 4,9% para 1,5 mil milhões de euros com o crescimento em todas as linhas de negócio. O número de serviços atingiu o “valor recorde” de 9,1 milhões, com a adição de 611,9 mil subscrições.
Lucros da Nos sobem 9,3% para 90,4 milhões de euros
Sara Ribeiro 02 de março de 2017 às 22:04

A operadora liderada por Miguel Almeida atingiu um resultado líquido de 90,4 milhões de euros em 2016, um valor que representa um crescimento de 9,3% face ao ano anterior.

O resultado alcançado foi impulsionado pelo crescimento consolidado em todas as linhas de negócio, com a Nos a registar receitas totais de exploração de 1,5 mil milhões de euros, mais 4,9% face a 2015.

As receitas de telecomunicações, que representam praticamente o total dos proveitos, cresceram 5,1%para 1,4 mil milhões de euros, devido ao crescimento dos serviços, "que atingiram um valor recorde superior a 9 milhões", explica a Nos em comunicado enviado esta quinta-feira, 2 de Março, à CMVM.

Ao longo de 2016 a Nos captou 611,9 mil novas adições líquidas em todos os serviços prestados. A maioria das novas subscrições (332,6 mil) foram direccionadas para a oferta móvel que, segundo a operadora, registou "novo recorde" ao atingir 4,4 milhões de clientes.

No segmento de televisão paga, somou 56,8 mil novas adições (+3,7%) tendo fechado o ano com 1,6 milhões de clientes, o que traduz uma quota de mercado, segundo os últimos dados do regulador, de 43,5%.

O número de clientes convergentes, ou seja, subscritores de um pacote de serviços, aumentou 15,1% para 680 mil no final de 2016, "representando 45,8% do total da base de clientes de acesso fixo, acima dos 41,9% verificado no final de 2015".

A receita média por utilizador (ARPU) do segmento fixo também cresceu 3,1%, passando de 42 euros para 43,3 euros.

Os serviços de banda larga fixa e telefone fixo seguiram a mesma tendência, com crescimentos de 10,5% e 6,2% para 1,2 milhões e 1,7 milhões de subscritores, respectivamente.

No universo empresarial a Nos também aumentou os serviços prestados em 133,5 mil para um total de 1,4 milhões.

A Nos revela ainda que no final do ano a cobertura de rede fixa chegou a mais 163,8 mil casas, "maioritariamente fora dos grandes centros urbanos", com a rede de fibra óptica da operadora a chegar a 3,7 milhões de casas.

O investimento (capex) para esta expansão alcançou os 392,7 milhões de euros.

No campo operacional, o EBITDA (resultado antes de impostos, juros, amortizações e depreciações) situou-se em 556,7 milhões de euros, um crescimento de 4,4%. Pelo contrário, a margem EBITDA recuou 2 pontos percentuais para 36,7%.

No final de 2016 a dívida líquida da operadora era de 1,1 mil milhões de euros, ou seja, duas vezes o EBITDA, um rácio que segundo a Nos é "conservador face às congéneres do sector".

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 02.03.2017

SÓ OS TÓTÓS AINDA ESTÃO NA NOS, COM A PIOR REDE DE TELEMOVEL 3G E 4G É UMA MISÉRIA. FIBRA NEM VE-LA. MUDEI PARA VODAFONE 200 MEGAS, MODEM WI-FI 5G, DOIS TELEMÓVEIS E É OUTRO MUNDO, POR 50€. CEM CANAIS NAS OUTRAS TV, NOS SÃO APENAS 30.

pub
pub
pub
pub