Mercados Banca espanhola afunda e juros sobem para máximos com receios da Catalunha independente

Banca espanhola afunda e juros sobem para máximos com receios da Catalunha independente

O IBEX está a viver a pior sessão em mais de um ano, com as perdas a serem lideradas pelo sector financeiro. Os bancos catalães afundam mais de 6% enquanto os juros da dívida seguem em máximos de quase sete meses.
Banca espanhola afunda e juros sobem para máximos com receios da Catalunha independente
Reuters
Rita Faria 04 de outubro de 2017 às 13:20

O resultado do referendo de domingo na Catalunha já estava a agitar os mercados, mas a garantia de que a declaração de independência será mesmo feita nos próximos dias está a adensar os receios e a colocar Espanha sob os holofotes.

O principal índice da bolsa de Madrid, o IBEX, desce 2,45% para 10.0006,10 pontos, depois de ter chegado a desvalorizar um máximo de 2,67% para 9.983,50 pontos, o valor mais baixo desde Março. A queda é a mais pronunciada desde Agosto de 2016, sessão em que o índice afundou 2,77%.

Com todas as cotadas no vermelho, são as empresas do sector financeiro que mais contribuem para a evolução negativa do índice, com os bancos catalães em destaque. O Sabadell afunda 6,40%, o CaixaBank desce 6,39% e o Bankia perde 3,88%. Também o BBVA, o Santander e o Bankinter registam desvalorizações superiores a 3%.

O ministro espanhol da Economia, Luís de Guindos, já garantiu, no entanto, que os depositantes "nada têm a temer" já que os bancos sediados na Catalunha são "bancos espanhóis e também europeus".

Tal como os clientes dos bancos, também as empresas não deverão estar preocupadas, sublinhou, garantindo que o executivo "actuará com os instrumentos e nos momentos adequados".

O deslize da bolsa espanhola está a arrastar a maioria dos índices accionistas europeus e a levar o Stoox600 a interromper uma série de nove sessões consecutivas de ganhos.

Os receios em torno da independência da Catalunha estão a reflectir-se também no mercado de dívida, com os juros das obrigações a dez anos a subirem pela terceira sessão consecutiva, para o valor mais elevado em quase sete meses. A ‘yield’ associada a estes títulos avança 3,7 pontos para 1,760%, depois de já ter tocado em 1,792%, um máximo de 22 de Março. O spread da dívida portuguesa face à do país vizinho está, pelo contrário, em mínimos de Outubro de 2015.

Analistas consultados pela Reuters acreditam que o nervosismo deverá prolongar-se nos próximos dias. "Quando olhamos para os mercados europeus, percebemos que as preocupações políticas em relação a Espanha são o principal motor, e que a incerteza vai continuar se o governo regional declarar a independência", afirma o economista da Investec Ryan Djajasaputra citado pela agência noticiosa.

A convicção de que a declaração de independência chegará nos próximos dias é cada vez maior, depois de ter sido agendado um plenário do parlamento regional para a próxima segunda-feira.

O presidente do governo catalão, Carles Puigdemont, poderá aproveitar a presença nesse plenário para avançar com uma declaração unilateral de independência, na sequência do resultado do referendo, que deu vitória ao "sim" com 90% dos votos. 




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Bom não é... Há 2 semanas

Não havendo uma relação directa entre os bancos portugueses e os espanhóis, esta situação obviamente que não é boa para nós. O reflexo na cotação do BCP, por um tema totalmente alheio ao BCP, aí está para o provar. Mas é uma reação de curto prazo. No longo prazo estes episódios, bons ou maus, não interessam. Só interessam os resultados do Banco. Que vão ser de 500 milhões de lucros em 2018.

comentários mais recentes
mas o que é que o MILENIUM BCP Há 2 semanas

mas o que é que o MILENIUM BCP tem a ver com toda esta PALHAÇADA da catalunha

joaoferreira1 Há 2 semanas

Já o pharolito oscila entre os 0,47 e os 0,23 em seis meses. Já numa análise a 2 anos...deve ser entre os 4 euros da PT e os 0,23 eheheeheh

ESTRANHO E MANIPULADO ..... MISTÉRIO Há 2 semanas

Há 3 horas
ENTÃO mas se os RATINGS de PORTUGAL e do MILENIUM BCP já VÃO subir para a SEMANA outra vez porque DIABO é que o BCP está a descer 3% MISTÉRIO

Re: Bom dia para expulsar tolinhos do BCP Há 2 semanas

Mais uma vez se percebe que os unicos "tolinhos" são aqueles que ficam e vão continuar entalados no BCP. Um titulo que já nem merece análise... sempre com o coração nas mãos... há meses que oscila entre os 0,18-0,25€... para quem precisa de recuperar de perdas superiores a 400% pode esperar sentado!

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub