Mercados Bolsa de Nova Iorque sem sinal comum em sessão mais curta

Bolsa de Nova Iorque sem sinal comum em sessão mais curta

Em véspera de feriado, as negociações em Wall Street foram encurtadas esta segunda-feira. Ainda deu para o Dow Jones bater um recorde intradiário, animado por dados da manufactura.
Bolsa de Nova Iorque sem sinal comum em sessão mais curta
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 03 de julho de 2017 às 18:04
Numa sessão menos longa do que é normal - as negociações encerraram às 18:00, hora em Portugal Continental, devido à aproximação do feriado do Dia da Independência - as bolsas norte-americanas fecharam esta segunda-feira, 3 de Julho, sem tendência definida, com os ganhos em dois índices a serem sustentados pelos sectores energético e financeiro.

O tecnológico Nasdaq cedeu 0,49% para 6.110,06 pontos, enquanto o S&P terminou a somar 0,23% para 2.428,94 pontos. Também com sinal verde esteve o industrial Dow Jones, que ao longo da sessão chegou a registar um máximo intradiário histórico, de 21.562,75 pontos. Avançou 0,6% para 21.476,90 pontos.

A alavancar as acções industriais esteve a divulgação de dados económicos, com a actividade manufactureira a subir em Junho para o valor mais elevado em quase três anos, antecipando a aceleração da economia no segundo trimestre do ano. 

"O índice de gestores de compras para o sector manufactureiro é um bom indicador de crescimento económico e melhorou no último ano. Juntamente com o plano ambicioso de diminuição do balanço da Reserva Federal, a política monetária menos expansionista pode trazer ventos contrários. Normalizar a política monetária é positivo, mas a Fed deve ser cautelosa no ritmo," disse à Reuters Jason Pride, da Glenmede.

Numa altura em que os preços do barril de petróleo avançam 1,69% em Nova Iorque, para 46,82 dólares, na oitava sessão de recuperação, os papéis da Chevron e da Exxon fecharam a ganhar quase 2%, ao passo que Total e BP avançaram 1%.

No sector bancário, a Goldman Sachs conheceu valorizações acima dos 2%, enquanto as tecnológicas Facebook, Microsoft, Alphabet e Twitter caíram mais de 1%.

Além de fecharem mais cedo esta segunda-feira, as praças norte-americanas estarão encerradas à negociação amanhã, em virtude do feriado do Dia da Independência.

Nas praças do Velho Continente o dia foi de valorizações generalizadas, também impulsionadas pelos títulos do sector energético e das exportadoras, como as construtoras automóveis, permitindo às acções deixar terreno mínimo de mais de dois meses.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub