Mercados Caixa sobe comissões a partir de Abril
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Caixa sobe comissões a partir de Abril

A CGD está a comunicar alterações ao seu preçário em vários serviços, nomeadamente nos cartões, transferências e cheques. Novos preços entram em vigor a partir de Abril.
Caixa sobe comissões a partir de Abril
Patrícia Abreu 17 de janeiro de 2017 às 00:01

Os clientes da Caixa Geral de Depósitos  vão sentir um agravamento das comissões cobradas pelo banco público em vários serviços, em Abril e Maio. A instituição está a comunicar as

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais

A sua opinião11
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado portulord 17.01.2017

estes vão aumentar ,mas o novobanco aumentou-me a conta novobanco 100% que era de graça para um euro e agora para 2,5€ em menos de um ano ou seja mais um aumento de 150€ e dizem que se não concordar que posso fechar a conta ,já parecem as empresas de telecomunicações que têm aumentado as vezes que lhes apetece

comentários mais recentes
Cantaropartido 17.01.2017

Comissões, algo que assegura a improdutividade bancária.

JCG 17.01.2017

Numa atividade económica e empresarial séria e honesta, o preço de venda de um bem ou serviço é o somatório dos diversos custos de produção acrescido de uma margem normal de lucro. É assim que um comércio justo e conduzido por gente séria fixa, numa sociedade razoavelmente civilizada, os preços daquilo que vende.
Nada disto se passa nos bancos. Os bancos tornaram-se autênticas organizações mafiosas, que apenas não andam de metralhadora na mão a liquidar adversários, que sob a capa da legalidade e tendo tornado políticos e goversos seus lacaios e capatazes – veja-se o recente caso CGD e o comportamento daqueles politicozinhos de treta - se tornaram em instrumentos de extorsão de clientes e não clientes, sob a as mais diversas formas e maneiras.
O que é preciso fazer, onde deve incidir o foco é convidar os gestores bancários a demonstrar e detalhar os custos de produção dos tais serviços que prestam, em paralelo à congeminação de uma lei sobre preços especulativos e extorsão no comérci

Teresa Vasconcelos e Sá 17.01.2017

Eu não sabia, mas afinal também posso ser uma grande CEO bancária: despeço gente, fecho balcões, subo comissões... Mais fácil que fazer uma mousse!

REVOLTADO 17.01.2017

Oh Johnny, se trabalhas posso saber qual a empresa? Cá para mim da maneira como falas deves ser mais um a receber RSI às nossas custas. E quais os argumentos para vomitares tanta asneira? Tipos como tu, este País dispensa. O que nós precisamos é de gente com pensamentos positivos.

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub