Research CaixaBI antecipa que lucros da Galp tenham crescido 25% para 604 milhões de euros

CaixaBI antecipa que lucros da Galp tenham crescido 25% para 604 milhões de euros

No que respeita ao quarto trimestre, os lucros terão subido mais de 55%, apoiados pelo aumento da produção e dos preços do crude.
CaixaBI antecipa que lucros da Galp tenham crescido 25% para 604 milhões de euros
Galp
Rita Faria 15 de fevereiro de 2018 às 06:30

O CaixaBI antecipa que a Galp Energia tenha encerrado o ano de 2017 com lucros de 604 milhões de euros, o que representa uma subida de 25% face ao resultado líquido de 483 milhões de euros registado em 2016.

 

No que respeita apenas ao quarto trimestre do ano passado, os lucros terão aumentado 55,8% para 188 milhões de euros, uma evolução suportada pelo crescimento da produção e dos preços do petróleo.

 

"A subida dos preços do crude e da produção devem impulsionar a margem operacional na divisão de exploração e produção para perto de 300 milhões de euros no trimestre", referem os analistas.

 

Já na divisão de refinação e distribuição, o CaixaBI estima que a margem de refinação da empresa terá diminuído tanto em termos homólogos quanto em termos trimestrais, para 4,8 dólares por barril. O EBITDA desta área deverá situar-se em 158 milhões de euros. O segmento de gás e energia deverá ser "negativamente impactado" por uma maior exposição as vendas de gás com margem inferior, acrescentam os especialistas.

 

No passado dia 5 de Fevereiro, a Galp revelou que a sua produção de petróleo aumentou 7% no último trimestre do ano passado, um período em que a área da refinação e distribuição registou, pelo contrário, um decréscimo face aos três meses anteriores.

 

Relativamente ao ramo de gás natural e energia, as vendas totais de gás natural ou gás natural liquefeito cresceram tanto em termos homólogos como em termos trimestrais. Na comparação com os mesmos meses de 2016, o crescimento foi de 2%.

 

Já as vendas no mercado internacional ("trading") diminuíram 2,9% face ao quarto trimestre de 2016, uma evolução que, ainda assim, representa uma subida de 21,1% em relação ao período entre Julho e Setembro de 2017.

 

A empresa liderada por Carlos Gomes da Silva divulga os seus resultados a 20 de Fevereiro, antes da abertura do mercado, no mesmo dia em que realiza o seu Capital Markets Day 2018.

(corrige variação homóloga para 25% e não 13,5%)

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.




Saber mais e Alertas
pub