Mercados Como o "ouro verde" da Suécia se está a tornar num investimento alternativo

Como o "ouro verde" da Suécia se está a tornar num investimento alternativo

Os preços das florestas suecas estão perto de máximos. Investidores procuram activos alternativos.
Como o "ouro verde" da Suécia se está a tornar num investimento alternativo
Ricardo Almeida/Correio da Manhã
Bloomberg 12 de setembro de 2017 às 12:45

Com as taxas de juros em mínimos históricos os investidores suecos estão a procurar activos alternativos e muitos optam por investir na floresta.

Os preços do metro cúbico de madeira subiram de 398 coroas suecas (53,49 euros) no primeiro semestre de 2016, para 56,31 euros em 2017, de acordo com dados da empresa de consultoria da federação de agricultores suecos LRF Konsult, citados pela Bloomberg. Os valores agora estão perto dos máximos de 56,45 euros registados em 2010.

A empresa acredita que a tendência é para o metro cúbico continuar a subir. "Todo a gente quer mais floresta - proprietários e empresas privadas", afirmou o chefe da LRF Konsult, Markus Helin, numa entrevista por telefone. "O interesse em comprar florestas está a aumentar em todas as frentes, e acho que essa tendência continuará".

 

Os preços das florestas estão a crescer tal como a economia sueca, ambas alimentadas por juros reduzidos e por um estímulo sem precedentes do banco central. O Riksbank sueco reduziu as taxas para abaixo de zero e também injectou 300 mil milhões de coroas (quase 40 mil milhões de euros) na economia através de compras de títulos.

O desenvolvimento da floresta ocorre essencialmente no sul da Suécia, onde os preços por metro cúbico já registam valores de mais do dobro face ao norte do país.


Uma das principais razões para o aumento dos preços é a taxa de juros ultra-baixa, que, segundo Helin, cria incentivos para investimentos em activos como florestas. Além disso, os proprietários da floresta "geralmente têm baixos índices de dívida" e estão a aproveitar os baixos custos dos empréstimos para comprar mais, acrescentou.


Os maiores proprietários da Suécia são o Sveaskog AB, que vende arvores celulose e biocombustíveis, e Svenska Cellulosa AB , que produz papel, celulose e madeira. Além disso, existem cerca de 330 mil proprietários florestais individuais.

 

As florestas da Suécia - muitas vezes referidas como "ouro verde" - ainda não conseguiram atrair grandes investidores estrangeiros, disse Helin. "Nós percebemos que há interesse de investidores fora da Suécia, mas são principalmente investidores suecos e, especialmente, investidores que desejam aumentar seu património florestal", conclui.

Conheça mais sobre as soluções de trading online da DeGiro.




pub