Research JBCapital Markets inicia cobertura da Sonae com preço-alvo de 1,5 euros

JBCapital Markets inicia cobertura da Sonae com preço-alvo de 1,5 euros

Os espanhóis da JBCapital Markets recomendam "comprar" acções da Sonae, que têm um potencial de subida de mais de 37%.
JBCapital Markets inicia cobertura da Sonae com preço-alvo de 1,5 euros
Rita Faria 12 de dezembro de 2017 às 12:49

A JBCapital Markets iniciou a cobertura das acções da Sonae atribuindo-lhes uma recomendação de "comprar" e um preço-alvo de 1,5 euros. Tendo em conta a cotação actual dos títulos (1,09 euros), a avaliação tem implícito um potencial de valorização de 37,6%.

 

Numa nota de análise divulgada esta terça-feira, 12 de Dezembro, a casa de investimento espanhola diz estimar "que mais de 80% do valor do grupo está espalhado por uma ampla gama de negócios" no país – desde o retalho às telecomunicações - o que torna a empresa numa beneficiária directa "do ambiente macroeconómico robusto em Portugal".

 

No retalho alimentar, os analistas destacam que, depois de dois anos de descida do EBITDA e do LfL (vendas comparáveis) o período de 2016-2017 trouxe as melhorias necessárias, sendo de esperar que a tendência continue.

"Antecipamos uma melhoria de 50 pontos base nas margens e um aumento de 2% nas vendas por metro quadrado já em 2018", afirmam os analistas. "Também esperamos que a Sonae duplique a sua marca de proximidade para 200 lojas Bom Dia em 2022".

 

No que respeita ao retalho não alimentar, a JB Capital Markets destaca que o acordo entre a Sport Zone e a JDSports é positivo para a Sonae e que a Worten está a dar sinais de recuperação.

Recorde-se que, em Setembro, a empresa liderada por Paulo Azevedo anunciou um acordo com a JD Sports para a fusão da Sport Zone com os negócios do grupo britânico na Península Ibérica, na sequência do memorando de entendimento anunciado em Março.

"Na nossa opinião, este acordo trará importantes poupanças, e a Sonae receberá 21,5 milhões de euros se forem alcançados determinados objectivos. Na Worten, a fonte de preocupação continua a ser as suas operações em Espanha, mas em termos gerais, a Worten continua a melhorar as vendas LfL e a aumentar as margens", concretiza a casa de investimento.

Além disso, tendo em conta que a Sonae tem 88% da Sonaecom que, por sua vez, detém 50% de um veículo que é dono de 52,15% da Nos, os títulos da retalhista permitem "capturar" parte do potencial das acções da empresa liderada por Miguel Almeida, com um preço-alvo de 6,7 euros para a JB Capital Markets.

As acções da Sonae ganham 1,58% para 1,09 euros. 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.




pub