Mercados Os três grandes erros de Warren Buffett

Os três grandes erros de Warren Buffett

O investidor perdeu mais 12 mil milhões de dólares por ter decidido sair cedo de mais de três empresas.
Os três grandes erros de Warren Buffett
Bloomberg
Negócios 08 de agosto de 2017 às 13:17

Warren Buffett é, sem sombra de dúvida, um dos maiores investidores da actualidade. Desde 1950,transformou menos de 10 mil euros em cerca de 74 mil milhões. Mas a sua fortuna poderia ascender a 100 mil milhões, ou mais, se o filantropo não tivesse doado cerca de 27,5 mil milhões para várias obras de caridade.


A estratégia do investidor tem sido coerente e simples: comprar participações em grandes empresas que apresentam claras vantagens competitivas e mantê-las durante um longo período de tempo. A Business Insider revela que Buffet detém acções da Wells Fargo e da Coca-Cola desde o final dos anos 80. O famoso investidor acredita que há empresas que mundialmente são tão fortes que têm sucesso apesar que quem as dirige. E é nisso que Buffet aposta.

Por regra, Buffett não se desviou desta estratégia de comprar acções e mantê-las em carteira durante bastante tempo. E nas poucas vezes que ele optou por manter as acções durante períodos mais curtos a estratégia saiu-lhe cara. O site The Motley Fool descreve os três maiores erros da carreira do investidor, que custaram cerca de 12 mil milhões de dólares à sua fortuna.

 

Lowe's

 

No último trimestre de 2010, logo após o mercado imobiliário nos Estados Unidos ter batido no fundo, e pouco mais de um ano depois da profunda crise no mercado accionista, a empresa de Buffett, Berkshire Hathaway, decidiu sair e vender a participação que detinha na empresa de materiais de construção - actualmente a segunda maior do mundo. Com o desemprego em alta e com as consequências da crise do "subprime" ainda difíceis de prever, a equipa de Buffett acreditou que o mercado imobiliário iria sofrer uma crise maior do que a que foi realmente verificada.

De acordo com o The Motley Fool, Buffet conseguiu, na altura, um lucro de 163 mil dólares com este negócio, mas hoje essas mesmas acções valeriam cerca de 6,5 milhões. Além disso, durante estes anos Buffett teria recebido dividendos de 5,99 dólares por acção, mais 39 milhões em capital que não encaixou. Feitas as contas, o multibilionário deixou de ganhar 368 milhões de dólares por não ter mantido o seu investimento inicial neste gigante do "do-it-yourself".

 

Home Depot

 

A decisão de sair da Lowe’s não foi o primeiro grande erro da sua carreira. Um ano antes, Buffett também vendeu demasiado depressa a sua participação na Home Depot, grande empresa precisamente do sector "do-it-yourself" imobiliário.

No segundo trimestre de 2009, Warren Buffett vendeu um quarto das suas 3,7 milhões de acções da Home Depot e alienou a restante participação no terceiro trimestre de 2010. O motivo da venda parece ter sido a crença de que o mercado imobiliário iria piorar antes de melhorar, mas Buffett estava errado.

Além disso, a Home Depot conseguiu crescer apostando na formação dos seus trabalhadores na área tecnológica para melhorar a experiência do cliente e agilizar o processo de vendas, ao mesmo tempo que investiu no e-commerce. A empresa hoje é líder de mercado. Actualmente, 3,7 milhões de acções da Home Depot (a quantidade que Buffet detinha) valem cerca de 544 milhões de dólares. Buffett deixou também de ganhar 12,78 dólares por acção em dividendos, ou seja cerca de 47 milhões ao longo destes anos. Ainda de acordo com as contas do The Motley Fool, Buffett deixou de encaixar 450 milhões de dólares.

Walt Disney


A "jóia da coroa" dos erros de Warren Buffett é a Walt Disney, que vendeu demasiado cedo não uma vez, mas duas vezes. Em 1966, Buffet detinha uma participação de 5% na Disney, numa altura em que a empresa estava em forte crescimento após o lançamento da Mary Poppins e cerca de nove milhões de pessoas, por ano, visitavam o seu parque temático na Califórnia. Buffett apostou que os conteúdos da Disney seriam o motor de crescimento da empresa e acertou: encaixou cerca de 2 milhões de dólares e teve lucros de 50%, apenas um ano depois, com a venda da sua participação. Mas estes 5% actualmente valeriam 8,32 mil milhões.

Mais tarde em 1995, quando a Disney alienou as empresas Capitais e ABC, Buffet ficou com 21 milhões de acções, mas vendeu rapidamente. Na altura essas acções valeram menos de 400 milhões de dólares, hoje, as mesmas 21 milhões de acções valem cerca de 2,23 mil milhões. Também neste caso Buffett deixou ainda de receber dividendos, cerca de 12,36 dólares por acção desde 1989, o que significa 964 milhões em receita potencial de dividendos e outros 249 milhões pelas acções alienadas após a fusão.

Conheça mais sobre as soluções de trading online da DeGiro.






pub