Bolsa Pharol afunda quase 7,5% para mínimos de quase meio ano

Pharol afunda quase 7,5% para mínimos de quase meio ano

As acções da Pharol voltaram a transaccionar sob forte pressão, tendo terminado o dia a afundar 7,42% numa sessão em que tocaram no valor mais baixo desde 8 de Junho. Nas últimas três sessões, os títulos da cotada caíram perto de 23,5%.
Pharol afunda quase 7,5% para mínimos de quase meio ano
Pedro Elias/Negócios

Foi mais um dia de fortes perdas para a Pharol, que caiu 7,42% para 0,287 euros na sessão bolsista desta terça-feira, 28 de Novembro. Os títulos da empresa chegaram mesmo a recuar perto de 13% para 0,27 euros, valor que representa a cotação mais baixa desde 8 de Junho.

 

Nas últimas três sessões, em que negociou sempre em terreno negativo, os títulos da Pharol acumularam uma desvalorização de 23,47%. Ainda assim, apesar destas desvalorizações, desde o início deste ano o valor em bolsa da cotada cresceu 39,61% para uma capitalização bolsista que se fixa agora em 259,1 milhões de euros.

 

Se na sexta-feira passada o volume de títulos negociados ficou aquém da média diária dos últimos seis meses, nas últimas duas sessões verificou-se uma liquidez bem superior ao registo médio diário verificado no último meio ano.

 

Depois de na segunda-feira terem sido transaccionados acima de 11,35 milhões de acções, esta terça-feira trocaram de mãos mais de 14,22 milhões de títulos accionistas da cotada, volume que compara com a média diária dos últimos seis meses que é superior a 5,56 milhões.

A empresa liderada por Palha da Silva (na foto) tem vindo a ser pressionada pelo plano de recuperação judicial da Oi, operadora brasileira detida em cerca de 27% pela cotada portuguesa. O processo em causa já sofreu vários revezes.

 

Na noite desta segunda-feira, o regulador do mercado de telecomunicações do Brasil (Anatel) exigiu a suspensão do plano de recuperação acordado entre a Oi e os respectivos credores.  

 

No entender da Anatel persistem questões no plano que podem ser "ruinosas" para a operadora de telecomunicações, o que levou o regulador brasileiro a ordenar que a Oi não prossiga com a proposta para acordo com credores que foi recentemente anunciada.

 

Entretanto, também a demissão do presidente executivo da Oi agravou a instabilidade na operadora. Marco Schroeder justificou a saída com o facto de não poder continuar a trabalhar com a restante administração da empresa, destacando ainda a frustração com a lentidão do governo brasileiro em apoiar a operadora. Schroeder foi substituído por Eurico Teles Neto.




A sua opinião10
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
A Pharo falir? Há 1 semana

Quem vai falir é a Oi, ou pelo menos dizimar os atuais acionistas. A Pharol nao tem divida, nao pode falir, mas vai valer zero, porque os seus ativos valem...zero. Sem delirios.

Anónimo Há 1 semana

Anda por aí um tolinho a delirar que a Pharol vai falir

Ai estão os lesados aos berros Há 1 semana

Como não podia deixar de ser, a empresa vai para o galheiro e os calimeros vêm logo todos choramingar que a culpa de se meterem num investimento de risco, e depois perderem, não é deles. Mas é só deles. Assumam que não percebem nada disto e sejam homenzinhos. Cambada de mariquinhas.

O idiota é mesmo idiota Há 1 semana

Partilha uma noticia que é mais um prego no caixão dos atuais acionistas (porque benficia os novos acionistas que forem ao aumento de capital) e o idiota acha que é uma boa noticia para quem tem Oi? Mas o gajo não percebe mesmo nada disto...Quão estupido se pode ser? E claro que a Oi fechou a cair..

ver mais comentários
pub