Reabilitação Urbana Universidades “abertas” à reabilitação urbana

Universidades “abertas” à reabilitação urbana

Ensino superior lecciona cursos associados ao tema.
Universidades “abertas” à reabilitação urbana

A reabilitação urbana tem o seu espaço nas universidades portuguesas e um dos vários exemplos que o comprovam é o mestrado em Urbanismo e Ordenamento do Território (MUOT) leccionado no Instituto Superior Técnico.

"O MUOT tem sido um sucesso", garante Jorge Gonçalves, enfantizando que o mestrado sobreviveu a um período de crise. "Relembre-se que a crise teve especial impacto na construção e no imobiliário, o que penalizou a procura de cursos associados a essas matérias.
Felizmente, o MUOT compensou a estabilização da procura nesse período com uma larga presença de alunos internacionais, com destaque para Angola, Moçambique, Brasil e outros países via programas Erasmus como Geórgia, Turquia, Arménia e até Maldivas", explica o coordenador do mestrado.


O MUOT está bem e recomenda-se – até pelas "condições que o Técnico proporciona", realça Jorge Gonçalves – edestaca-se por apostar numa formação "prática e orientada para respostas concretas, enquadrada por sólidas bases científicas e proporcionando alargadas competências aos seus alunos"


No que diz respeito à Escola de Arquitetura da Universidade do Minho, os alunos do 2.º ciclo têm participado "em diversos projectos" realizados em parceria e com o apoio de municípios da zona Norte. "Pensar, programar e projectar a reabilitação de grandes espaços industriais localizados no Vale do Ave, de antigos conventos e mosteiros no Douro, ou na Rota do Romântico são desafios que se lançam quotidianamente a muitos dos alunos", conta Ivo Oliveira.




pub