Multinacional: Como Bragança contribui para baixar as emissões poluentes

A qualidade da mão-de-obra portuguesa é um dos factores que a francesa Faurecia tem destacado ao longo da sua presença em Portugal. A unidade de Bragança, que viu uma nova fábrica este ano, é das que mais contribui. Agora com uma distinção enquanto exportadora.
Multinacional: Como Bragança contribui para baixar as emissões poluentes
A unidade de Bragança, dedicada ao controlo de emissões, é uma das seis que o grupo francês Faurecia tem em Portugal.
Pedro Elias
Wilson Ledo 03 de janeiro de 2017 às 14:56
É pouco provável visitar um concessionário de automóveis e não encontrar um componente fabricado pela Faurecia em Bragança. A empresa venceu na categoria de Multinacional exportadora nos Prémios Exportação e Internacionalização.

Fundada em 2001, a Faurecia Bragança produz para a unidade de negócios de controlo de emissões do grupo francês. Tubos de escape, silenciadores, conversores catalíticos ou filtro são exemplos. A produção aproximada é de 9.500 conjuntos de carros por dia.

Jaguar Land Rover, Mercedes, Renault-Nissan e Peugeot Citröen são os principais clientes da unidade que emprega quase 850 colaboradores em Bragança. Contudo, a sua influência vai mais longe na indústria automóvel, com os produtos a chegarem de forma indirecta à Ford, Volkswagen ou Audi.

Em Junho, a Faurecia em Bragança cresceu, com a inauguração de uma segunda fábrica. O investimento superior a 40 milhões de euros deverá fazer também subir o número de trabalhadores, juntando-se mais 400 postos de trabalho até 2018.


100
Exportação
Toda a produção em Bragança segue para outras fábricas europeias.

40
Investimento
O grupo francês investiu mais de 40 milhões na expansão da Faurecia Bragança.

967
Facturação
As unidades lusas da Faurecia facturaram 967 milhões de euros em 2015.


"O trabalho desenvolvido pela Faurecia Bragança tem sido fundamental para o sucesso contínuo da operação junto dos nossos clientes em França, Espanha e Reino Unido. É importante referir que 100% da produção de Bragança é exportada para as principais fábricas automóveis da Europa", explicou a empresa ao Negócios.

Na cerimónia de assinatura do protocolo para esta expansão, ainda em 2015, o então vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, lembrava a importância da aposta. "O que está aqui em causa hoje é o que mais precisamos para Portugal: investimento, geração de emprego, inovação, reforço das exportações, economia aberta. Tudo isso se verifica numa região que não está no litoral, está no interior de Portugal", afirmou.

Além da localização geográfica, têm sido vários os responsáveis da Faurecia a destacar a mão-de-obra qualificada que a multinacional francesa encontra em Portugal. É assim desde 1951, ano em que este grupo francês - dos maiores fabricantes de equipamento automóvel a nível mundial - entrou no país.

Actualmente conta com seis unidades a produzir em território luso - Bragança, Nelas, Palmela, Vouzela e duas em São João da Madeira -, empregando 4.700 pessoas. No ano de 2015, segundo dados divulgados em Junho passado, o grupo facturou 967 milhões de euros em Portugal.

A Faurecia está presente em 34 países e emprega quase 100 mil trabalhadores, gerando vendas de 20,7 mil milhões de euros.

Uma das suas metas para 2017 passa por aumentar em 7% o volume de exportações.






A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar