Weekend A Lego construiu a sua casa

A Lego construiu a sua casa

Em Billund, na Dinamarca, vai ser inaugurada a Casa da Lego, que rapidamente se tornará num ponto central de peregrinação para os adoradores, mas também para os investidores, numa criação que nunca foi só um brinquedo.
A Lego construiu a sua casa
José Vegar 16 de setembro de 2017 às 09:00
Para todos os adoradores da Lego, o paraíso chegou finalmente à Terra. A Casa da Lego (Lego House), www.legohouse.com, abre as suas portas a 28 de Setembro, em Billund, na Dinamarca, onde os tijolos coloridos e todos os mundos que lhe sucederam foram inventados.

A empresa, que hoje é uma multinacional de sucesso, não quis fazer mais um espaço celebrante do seu produto, mais um parque temático, mais um museu estático. Embora a Casa da Lego inclua todas estas dimensões, é muito mais do que isso, graças ao conceito que a determinou – a casa tem de ter uma identidade Lego, por um lado, e deve conseguir abarcar todas as possibilidades de criação Lego, por outro. Em relação à primeira vertente, o gabinete de arquitectura Bjarke Ingels adoptou uma solução tão simples como brilhante.

O edifício é formado por blocos, que são os tijolos Lego aumentados, fechados com as coloridas bases Lego. No que tem a ver com a segunda vertente, a Lego foi buscar as cores icónicas dos seus tijolos – verde, vermelho, azul e amarelo – para dar nome a quatro zonas que criam quatro experiências diferentes, ligadas, claro, tanto ao que o seu produto permite, como às áreas fundamentais do conhecimento e da criatividade.

Assim, na zona verde o visitante pode explorar as suas capacidades sociais, especialmente a de comunicação, através, por exemplo, da feitura de um filme na Story Lab ou da concepção de uma mini-figura no Character Creator. Já a zona amarela é dedicada às emoções e à diversão, com recurso a "bancadas" como o Critter Creator ou o Flower Artist. Por seu lado, a zona azul é dedicada aos temas mais sérios, os da cognição e da resolução de problemas complexos. É a zona onde estão as últimas e mais tecnologicamente avançadas soluções da Lego, como o Robo Lab, a City Architect ou o Test Driver. A zona vermelha é, como não poderia deixar de ser, a de pura diversão, usando os milhares de tijolos disponíveis.

A Casa da Lego incorpora ainda dois tijolos espaciais fundamentais. O primeiro é dedicado à colecção histórica, traçando toda a evolução dos produtos, dos primeiros tijolos, que ainda hoje são o básico da colecção, até aos mais recentes temas. O segundo tijolo será, porventura, o nuclear ou, pelo menos, o mais deslumbrante. De facto, a Galeria das Obras-Primas reúne todas as criações de topo de adoradores Lego de todo o mundo, dos cenários quase infinitos, aos personagens gigantes, passado pelos engenhos mecânicos e tecnológicos.

A Casa da Lego irá, certamente, gerar peregrinações massivas, mas tem, também, um valor muito importante para os investidores nesta classe de bens, sejam as primeiras colecções, sejam as figuras raras, sejam os cenários, que atingem hoje cotações de centenas e milhares de euros. É que, para os investidores, a Casa da Lego reúne todo o conhecimento e todas as criações de topo fundamentais para quem gosta de dominar o seu universo.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub