Conjuntura INE acusa Marques Mendes de “falsa antecipação grave” de dados

INE acusa Marques Mendes de “falsa antecipação grave” de dados

O INE diz que as declarações do Conselheiro de Estado podem “afectar negativamente” a confiança da opinião pública no instituto.
INE acusa Marques Mendes de “falsa antecipação grave” de dados
Nuno Aguiar 24 de julho de 2017 às 12:21
Tornou-se uma das marcas do espaço de comentário semanal do antigo líder do PSD: antecipar a divulgação de dados oficiais do Instituto Nacional de Estatística (INE). Ontem, Luís Marques Mendes referiu-se a dados do desemprego e, desta vez, o INE não levou a bem. Num esclarecimento enviado às redacções, acusa o comentador de "falsa antecipação" de dados.

Ontem à noite, durante o seu comentário na SIC, o conselheiro de Estado deu um dado em forma de revelação. "A taxa de desemprego está neste momento em 9,5%, valores de Abril. Pois bem, vai baixar para 9,4%, são resultados que o INE vai divulgar oportunamente, relativamente ao mês de Maio. Ainda não é conhecido, mas vai divulgar", afirmou.

O instituto explica que há quase um mês publicou uma estimativa provisória da taxa de desemprego de Maio - precisamente esses 9,4% -, o que significa que "Luís Marques Mendes, não antecipou este resultado do INE". "O resultado já tinha sido publicado!"

O INE considera ainda que "esta falsa antecipação é grave na medida em que se pode gerar na opinião pública a ideia que Luis Marques Mendes tenha qualquer privilégio de acesso antecipado às estatísticas oficiais do INE, o que não sucede".

A divulgação da estimativa definitiva do desemprego de Maio será feita na próxima sexta-feira, tendo começado apenas hoje [segunda-feira, 24 de Julho] o trabalho de apuramento da mesma. O que significa que é "materialmente impossível qualquer conhecimento prévio dos resultados".

O INE sublinha ainda que afirmações deste género podem colocar em causa a sua capacidade para cumprir os seus objectivos, podendo "afectar negativamente a confiança da opinião pública sobre a forma como o INE exerce a sua missão de serviço público". Essa confiança, argumenta o INE, é "essencial" para que se obtenha "a colaboração de pessoas e empresas nos inquéritos", nomeadamente o do emprego.

Contactado pelo Negócios, o ex-presidente do PSD não quis fazer qualquer comentário ao comunicado do INE, remetendo uma eventual reacção para o seu comentário semanal de domingo.

Nos últimos meses, Marques Mendes tem procurado antecipar alguns dados do INE. Isso já aconteceu em relação a números do produto interno bruto (PIB), bem como do défice orçamental. Em vários desses casos, o Negócios questionou o INE sobre este tipo de antecipação, sem que o instituto quisesse responder ao comentador, excepto para esclarecer timings de publicação de dados, assim como as entidades que recebem a informação com embargo. Aquilo a que chama uma "falsa antecipação" terá sido a gota de água para o instituto liderado por Alda Carvalho.



pub