Política Carlos César: "Schäuble é incendiário que quer passar por bombeiro"

Carlos César: "Schäuble é incendiário que quer passar por bombeiro"

Na reacção às declarações de ontem do ministro alemão das Finanças, o líder da bancada socialista no Parlamento diz que as declarações de Schäuble não colam com a disponibilidade das empresas alemãs investirem em Portugal.
Carlos César: "Schäuble é incendiário que quer passar por bombeiro"
Miguel Baltazar
Paulo Zacarias Gomes 27 de Outubro de 2016 às 11:18
O presidente do PS, Carlos César, referiu-se esta quinta-feira, 27 de Outubro, às declarações de ontem de Wolfgang Schäuble sobre a situação política em Portugal, acusando o responsável do Governo germânico de ser um "incendiário" e de as suas opiniões serem contraditórias com as intenções de investimento alemão no país.

"O ministro das Finanças alemão é, como se sabe, um incendiário que se propõe vender a imagem de bombeiro. Tem feito infelizmente isso não só no caso da economia portuguesa como em outros casos de outros países europeus," afirmou o também líder da bancada socialista à TSF.

Esta quarta-feira, num discurso feito numa conferência em Bucareste, o ministro alemão das Finanças disse que "Portugal vinha tendo muito sucesso até [à chegada] de um novo Governo".

"As coisas estão a acontecer da forma para a qual eu alertei o meu colega português [Mário Centeno] porque eu disse-lhe que se seguissem esse caminho iriam correr um grande risco e eu não correria esse risco", disse ainda o ministro, em declarações reproduzidas pela Bloomberg. 

Carlos César recordou as recentes manifestações de investimento em Portugal por parte das empresas alemãs no país para sustentar que há uma contradição entre a posição de Schäuble e a dos empresários alemães, que reconhecem, afirma, o potencial do país, com "estabilidade política e social e condições para progredir com a actual política."

"Mas o ministro das Finanças alemão devia pensar que os seus concidadão não têm a mesmo opinião, se pensarmos naqueles que investem na Volkswagen, na Continental ou outros investimentos que estão em curso com capitais alemães," justificou, referindo-se ao contrato de investimento de 50 milhões de euros com o Estado para a produção de pneus agrícolas e à contratação de 1.500 trabalhadores para a produção do novo modelo na fábrica de Palmela.



A sua opinião19
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 semana


A CGA é um esquema de Ponzi que nem o Madoff se lembraria de fazer!


As pensões antigas foram calculadas com base em perspectivas de crescimento de 3% ao ano!

Como os Governos não querem mexer nas situações jurídicas em curso, são os mais novos quem paga.

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 dias

Este César tem aspecto de Brutus , se o Costa não abrir os olhos mais tarde ou mais cedo temos o Brutus a fazer o mesmo que o Costa fez ao Seguro.

AMLG Há 6 dias

Ese Carlos Cesar é o tal que meteu a mulher e a filha no Governo (à boa moda do PS)? Bem me parecia. Isto é uma coboiada!

Anónimo Há 6 dias

Será que é só schauble , o incendiário? Não terá lá muitos como ele e para já não querem passar por maus-vizinhos ? Será que esta geringonça inspira confiança a Alguém.?

Anónimo Há 1 semana

Nem o Ministro Alemão é o bombeiro incendiário, nem tu tens uma opinião credível. Todavia quem nos avisa, nosso amigo é!!!

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub