Segurança Social Empresas enfrentam taxa de 10% pelos recibos verdes
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Empresas enfrentam taxa de 10% pelos recibos verdes

Para aliviar os descontos dos recibos verdes para a Segurança Social, o Governo e o Bloco de Esquerda chegaram a acordo para agravar a contribuição das chamadas “entidades contratantes”. Por duas vias.
Empresas enfrentam taxa de 10% pelos recibos verdes
Miguel Baltazar/Negócios
Elisabete Miranda 13 de dezembro de 2017 às 01:20

Governo e Bloco de Esquerda chegaram a acordo para agravar a taxa suportada pelas chamadas "entidades contratantes" – as empresas que contratam sistematicamente os mesmos recibos verdes. A medida, que se estime que venha a render mais 70 milhõ

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 5 dias

Eu continuo a achar que devia ser tudo público. Nada de empresas privadas. Assim, todo o investimento seria público, aumentavam-se significativamente as exportações, estávamos 35h por semana nos locais de trabalho, uma baldazita de vez em quando tambem não fazia mal ao mundo, todos atingiam os topos das carreiras, os salários mínimos em vez de 600 como quer o braço direito do PCP passariam para 700, e todos vivíamos felizes e contentes. Se houvesse deficit íamos buscar aos fundos estruturais da europa para compensar, e era se eles quisessem que continuássemos a pertencer ao clube. Quem nos comeu a carne, teria agora que comer os ossos.

comentários mais recentes
Anónimo Há 5 dias

O Jornal de Negócios que elabore sobre as reformas viradas para as reais condições de mercado que se fazem nas regiões mais desenvolvidas do mundo de modo a esclarecer a importância das mesmas para a prosperidade e o bem-estar das suas populações:
"IRS will cut 7,000 jobs because the majority of people are filing their tax returns online" http://www.dailymail.co.uk/news/article-3811646/IRS-cutting-7-000-jobs-vast-majority-people-file-tax-returns-online-meaning-fewer-people-needed-process-paper-forms.html
"Inland Revenue to cut 1500 jobs between 2018 and 2021" www.stuff.co.nz/business/industries/78231571/inland-revenue-to-cut-1500-jobs-between-2018-and-2021
"Australian Taxation Office axes 4400 jobs in 19 months" (April 9, 2015 http://www.canberratimes.com.au/national/public-service/australian-taxation-office-axes-4400-jobs-in-19-months-20150409-1mhhgq.html)

Anónimo Há 5 dias

Eu continuo a achar que devia ser tudo público. Nada de empresas privadas. Assim, todo o investimento seria público, aumentavam-se significativamente as exportações, estávamos 35h por semana nos locais de trabalho, uma baldazita de vez em quando tambem não fazia mal ao mundo, todos atingiam os topos das carreiras, os salários mínimos em vez de 600 como quer o braço direito do PCP passariam para 700, e todos vivíamos felizes e contentes. Se houvesse deficit íamos buscar aos fundos estruturais da europa para compensar, e era se eles quisessem que continuássemos a pertencer ao clube. Quem nos comeu a carne, teria agora que comer os ossos.

Anónimo Há 5 dias

Ótima notícia para tentar minimizar os abusos de algumas empresas na utilização deste tipo de contratação "permanente".

alfa Há 6 dias

Pagar, pagar, pagar..... o verbo mais conhecido do BE

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub