Economia “O candidato que não chegou a sê-lo” lança “Democracia mudança"

“O candidato que não chegou a sê-lo” lança “Democracia mudança"

Depois de em Junho ter lançado o livro “O candidato que não chegou a sê-lo”, onde culpa Marco António Costa pelo chumbo da sua candidatura pelo PSD a Matosinhos, Joaquim Jorge, presidente do Clube dos Pensadores, vai publicar uma nova obra - “Democracia mudança”.
“O candidato que não chegou a sê-lo” lança “Democracia mudança"
Joaquim Jorge, autor de "Democracia mudança", com a antiga ministra Paula Teixeira da Cruz, que vai apresentar o livro na dia 18 de Setembro, em Gaia.
Rui Neves 11 de setembro de 2017 às 12:08

Joaquim Jorge, biólogo e fundador do Clube dos Pensadores, vai lançar um novo livro. Intitulado "Democracia mudança", tem apresentação marcada para a próxima segunda-feira, 18 de Setembro, em Gaia, e contará com a presença de Paula Teixeira da Cruz, antiga ministra da Justiça.

 

Em "Democracia mudança", que leva a chancela da Quinto Império Editora, Joaquim Jorge defende que "é preciso reinventar a democracia e o funcionamento dos partidos", com a criação de "uma nova lei dos partidos políticos, uma nova lei do financiamento dos partidos e novas leis eleitorais".

 

"Luto por uma mudança de mentalidades e comportamentos, e uma revolução pacífica de ideias", preconiza o presidente do Clube dos Pensadores, que ficou conhecido dos portugueses por promover debates com protagonistas da sociedade portuguesa, sobretudo políticos - por exemplo, com o antigo ministro Miguel Relvas, cuja intervenção foi interrompida por um grupo de manifestantes que entoou a canção "Grândola, Vila Morena".

 

No novo livro, Joaquim Jorge considera que "não há democracia sem justiça", pelo que considera que "é preciso que os cidadãos interiorizem que a Justiça funciona".

 

"Vivemos num país que carece de princípios morais para condenar os infractores. A corrupção floresce graças à tolerância de pessoas que rodeiam o corrupto, pensando em beneficiar dessa situação, e de seguida, fazer os seus negócios", denuncia.

 

Daí que tenha convidado a antiga ministra da Justiça para a apresentação de "Democracia mudança", dizendo "reconhecer" que, com Paula Teixeira da Cruz na tutela desta pasta, "esbateu-se a ideia de que há uma justiça para ricos e outra para pobres".

 

"Há uns anos atrás era impensável um ex-primeiro-ministro ter sido preso e arguido em vários processos", argumentou.

 

"Democracia mudança" segue-se a "O candidato que não chegou a sê-lo", livro lançado por Joaquim Jorge em Junho passado e onde relata a "trágica" odisseia da sua corrida como independente pelo PSD às eleições autárquicas em Matosinhos.

 

Aprovado e chumbado cinco vezes pelo Plenário da Concelhia do PSD/Matosinhos, Joaquim Jorge culpa a distrital do partido, que considera um "bunker" dominado por Marco António Costa, "o homem do aparelho que domina a velha política do PSD contra a regeneração partidária".




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub