Orçamento do Estado OE 2018: Porta 65 reforçado em 2,5 milhões

OE 2018: Porta 65 reforçado em 2,5 milhões

O Governo prevê gastar 17 milhões de euros em 2018 com o programa de arrendamento jovem, um aumento de 17,2% face a este ano. O subsídio vai abranger candidatos até aos 35 anos e, no caso de casais, um dos membros poderá ter 37 anos.
OE 2018: Porta 65 reforçado em 2,5 milhões
Bruno Simão/Negócios
Filomena Lança 14 de outubro de 2017 às 11:30

A verba prevista no Orçamento do Estado (OE) para os subsídios ao arrendamento do programa Porta 65 ascende a 17 milhões de euros, mais 2,5 milhões do que os 14,5 milhões orçamentados para 2017, revela a proposta entregue pelo Governo no Parlamento esta sexta-feira, 13 de Outubro.

 

Este reforço da verba vem na sequência das alterações ao programa aprovadas no Parlamento e publicadas em Agosto último, mas já com dada de entrada em vigor marcada apenas para 1 de Janeiro. Entre as principais alterações conta-se um alargamento da idade de acesso para jovens entre os 18 e os 35 anos. Tratando-se de casais, um dos elementos poderá ter idade até 37 anos.

 

Por outro lado, a percentagem da subvenção mensal pode ser acrescida em 15% caso algum dos jovens ou elementos do agregado tenha um dependente a cargo ou seja portador de deficiência permanente que confira grau de incapacidade igual ou superior a 60 %. A percentagem passa para 20% caso existam dois ou mais dependentes a cargo e haverá uma majoração adicional de 10 % ou 5 %, respectivamente, caso o agregado jovem seja monoparental.

 

Com o lançamento da Nova Geração de Políticas de Habitação, o Governo prevê adaptar o Programa 65 às novas regras, nomeadamente às das rendas acessíveis. Não se sabe ainda, no entanto, em que sentido tal acontecerá.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub