Orçamento do Estado Orçamento vai ter 670 milhões para reforma da floresta, prevenção e combate de fogos

Orçamento vai ter 670 milhões para reforma da floresta, prevenção e combate de fogos

O primeiro-ministro avançou hoje que o Orçamento de Estado para 2018 terá 670 milhões de euros afectos ao conjunto de actividades relacionadas com a reforma da floresta, prevenção e combate aos incêndios e apoio à reconstrução do país.
Orçamento vai ter 670 milhões para reforma da floresta, prevenção e combate de fogos
Bruno Simão/Negócios
Lusa 14 de novembro de 2017 às 19:22

"Trezentos e setenta milhões de euros já constavam da proposta inicial e 300 milhões de euros serão apresentados na fase da especialidade, que é o resultado do conjunto do esforço que vimos ser necessário mobilizar, seja para a reconstrução, seja para dar execução, em 2018, já de parte significativa da resolução do Conselho de Ministros do passado dia 21 de Outubro", revelou António Costa.

 

Durante a assinatura de um protocolo para uma linha de crédito de apoio às empresas afectadas pelos incêndios de 15 de Outubro, que decorreu ao final da tarde em Vouzela, António Costa evidenciou a necessidade de se conseguir responder, simultaneamente, a todos os desafios que se colocam no horizonte.

 

"No horizonte do longo prazo, para entender o desafio das alterações climáticas. No horizonte do médio prazo, para responder às necessidades de revitalização do interior e ainda para podermos ter uma floresta mais ordenada", referiu.

 

Já em termos de desafios a curto prazo, o primeiro-ministro destacou a resposta às necessidades de habitação, mas também de reanimação da actividade económica.

 

Ao longo da sua intervenção, António Costa disse ainda que "é reconfortante ver que a solidariedade se mantém", quase um mês depois "da tragédia", e que "a capacidade de resposta no terreno é efectiva".

 

"Desde os autarcas, aos empresários, às populações, todos temos as mãos postas na obra para que se cumpra este nosso dever de reconstruir o país, de reerguer estes territórios", concluiu.

 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Neves Há 1 semana

Parece-me pouca verba para tanto que temos que reconstruir de base

General Ciresp Há 1 semana

Se eu fosse ministro desta BODEGA uma fraccao deste valor chegava e ainda CATIVAVA,ao passo que com esta gente ele ainda vai ser pouco.Porque sera?

pub