Banca & Finanças Novo Banco vale 4,4 mil milhões de euros?
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Novo Banco vale 4,4 mil milhões de euros?

Analistas não arriscam dizer se o Novo Banco vale o capital injectado pelo Fundo de Resolução. Se o valor da venda for inferior ao empréstimo do Tesouro, são os bancos que têm de se chegar à frente para o saldar.
Novo Banco vale 4,4 mil milhões de euros?
Bruno Simão/Negócios

O debate está aceso. A oposição diz que a solução põe em causa o dinheiro dos contribuintes. O Governo e o Banco de Portugal garantem que não. Mas se a venda do Novo Banco nã

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião98
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 04.08.2014

Só eu é que acho delirante esta história de um banco ter que pagar a má gestão dos bancos concorrentes ?! E não, não estou a dizer que o que faz sentido é serem os contribuintes a pagar.

comentários mais recentes
Anónimo 07.08.2014

Concordo com o outro anônimo, pois não deviam os outros Bancos concorrentes, a pagar, a má gestão do BES, nem tão pouco o Estado (nós), acho mais fácil, ir buscar essas toneladas de dinheiro à dita família, e, perguntam como " Encostam-nos a uma parede, um por um, ou dizem onde está o dinheiro , ou fuzilamento. Este é um ponto. Agora porque é que este dito Banco Novo, nascido de um domingo para segunda, vale 4,4 Mil Milhões, e o outro (BPN) de cerca de 7 Mil Milhões de fugas, só "valeu" para a filha do Sr. Eduardo dos Santos ou - 48 Milhões. Devo ser muito nabo em matemática.

Anónimo 05.08.2014

Carlos Martins
4 Agosto, 2014 às 16:49
Amigo Louçã, obrigado não só pelo texto mas pelas respostas pacientes aos
comentários, que ainda mais me esclareceram. Como ex-admnistrador de uma
sociedade satélite do BES denunciei há vários meses que o BESA tinha sido utilizado
para esvaziar o BES para garantir o dinheiro da família Espírito Santo. O que me
aconteceu? Apesar de ter feito a denúncia ao Banco de Portugal fui despedido do BES
com ordem para não falar aos orgãos de comunicação social e o Banco de Portugal
disse que as provas que tinha apresentado eram “insuficientes”. Agora o BES está
falido, o BESA foi nacionalizado e O António Sobrinho continua sem um processo
movido por ninguém, puro como a neve. Gostava de ter podido fazer mais mas o
desemprego deixou-me num estado emocional não condizente para grandes lutas.
Agora a família Espírito Santo fica-se a rir disto tudo com cerca de 6.000.000.000 de
euros. Julgo, julgo, que isto foi feito com a conivência do Governo pois como é que é
possível ter sido feito um buraco da exacta medida do dinheiro disponível? Como é
que no meio disto tudo o Governo aceita fazer isto aos contribuintes? Mais uma coisa.
José Maria Ricciardi não é nenhum santo. O problema é que da maneira que as coisas
foram feitas no BESA o ramo da família dele ficou sem acesso ao dinheiro desviado e
portanto eram os únicos que não tinham o golden parachute. Espero que um dia os
documentos que entreguei ao Banco de Portugal e ao Correio da Manhã venham a
público e se faça algum tipo de justiça
Francisco Louçã
4 Agosto, 2014 às 16:52
Se os documentos não forem confidenciais, permito-me sugerir-lhe que mande
para um jornal de referência, como o Público.

A 05.08.2014

O banco não pode ser vendido pelo estado, porque em primeiro lugar não foi nacionalizado e em segundo é dos accionistas, a quem foi roubado de forma escandalosa. Os pequenos accionistas estão a lutar pela devolução dos que lhes foi roubado.
Quem quiser fazer parte deste movimento manifeste essa intenção em bes2014@iol.pt

Anónimo 05.08.2014

Criaram dois Bad Banks.
E lançaram as sementes para destruír os restantes.

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
Notícias Relacionadas
pub
pub
pub