Empresas Brisa dá via verde à Bosch para testar carros autónomos

Brisa dá via verde à Bosch para testar carros autónomos

A Bosch e a Brisa estabeleceram uma parceira que possibilitará à empresa alemã em Portugal testar carros autónomos em troços das auto-estradas.
Brisa dá via verde à Bosch para testar carros autónomos
André Veríssimo 17 de maio de 2017 às 20:27
A Bosch Car Multimedia de Braga é um dos centros de desenvolvimento da condução autónoma do grupo alemão, em parceria com a Universidade do Minho. Investigação vai passar por testes com carros sem condutor nas auto-estradas portuguesas, numa parceria com a Brisa.

Carlos Ribas, representante da Bosch em Portugal, revelou esta quarta-feira num encontro com jornalistas que a empresa estabeleceu uma parceria com a Brisa para testar carros autónomos. Segundo explicou, os testes serão realizados em troços de auto-estrada com pouco tráfego e que serão encerrados temporiamente para o efeito. Um dos troços será perto de Braga e o outro, "em princípio" na zona centro.

A Bosch vai usar dois automóveis nos testes. Um deles será um BMW série 7, por causa do tipo de pára-brisas com que está equipado e que permite a projecção em realidade aumentada, explicou o líder da Bosch em Portugal. O outro será um Renault, que será equipado com sensores para testar a estabilidade do veículo em diferentes situações.

"Está-se a fazer desenvolvimento de condução autónoma ao mais alto nível em Portugal", afirmou Carlos Ribas.



A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 17.05.2017

Em economias avançadas não capturadas pelo excedentarismo, o sindicalismo, a corrupção e o compadrio, universidades como a Univ. do Minho criam empresas startup em períodos de revolução num dado sector que vendem ou licenciam a bom preço os seus produtos às Bosches deste mundo. É esta diferença de realidades, mentalidades e paradigmas de criação de valor que distinguem uma Holanda, Bélgica, Finlândia, Áustria, Israel, Irlanda ou Taiwan de uma Grécia ou Portugal.

comentários mais recentes
Anónimo 18.05.2017

A substituição de factor trabalho por factor capital é um processo. Passa por fases e etapas. Portugal, como tem uma economia capturada pelo anarco-sindicalismo entre outros flagelos como os do eleitoralismo e da corrupção política a que aquele não é estranho porque tem dependido deles para se perpetuar tornando Portugal naquilo que pode ser definido como um dos seus últimos santuários no mundo desenvolvido, tem salários mais baixos porque a economia é mais pobre, atrasada e dependente, revelando-se incapaz de criar valor de forma sustentável. Portugal está assim retido na fase intermédia assente ainda no trabalho por oposição ao capital e da qual nunca irá sair ao insistir no mesmo tipo de políticas ruinosas que repetem os mesmos erros ciclicamente. A fase lusa é óptima para que empresas de economias mais avançadas façam experiências a custos controlados e desenvolvam protótipos de novas soluções, que pouparão em factor trabalho, a baixo custo para depois serem massificadas na origem.

Anónimo 17.05.2017

A Bosch da Alemanha não tem certamente esta unidade em Portugal para fazer de conta que produz alguma coisa. A unidade tem de justificar o investimento feito e dar retorno sobre o mesmo.

Anónimo 17.05.2017

Anda tudo doido. Até aqui eram condutores a circular em sentido contrário na mesma via, agora são carros a circular sem condutor. Nunca mais ando em auto-estradas.

Anónimo 17.05.2017

Mas qual a piada ter um carro que não se conduz, para isso uso um taxi.
Tecnologias para gajos e gajas que não gostam de conduzir.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub