Empresas Farmacêutica Stada dispara em bolsa após duas ofertas de compra

Farmacêutica Stada dispara em bolsa após duas ofertas de compra

A empresa alemã Stada, que produz o genérico do Viagra, confirmou a recepção de duas ofertas de compra. Uma das propostas é do fundo Cinven por 3,6 mil milhões de euros e a outra da rival Advent.
Farmacêutica Stada dispara em bolsa após duas ofertas de compra
Negócios 13 de fevereiro de 2017 às 10:20

A Stada, farmacêutica alemã especializada na produção de medicamentos genéricos, entre os quais o Sildenafilo Stada (equivalente do Viagra), recebeu duas ofertas de compra pela empresa.

A companhia confirmou a recepção destas propostas depois do Financial Times ter noticiado que o fundo Cinven Partners LLP tinha avançado com uma oferta de 58 euros por acção, avaliando a oferta em 3,6 mil milhões de euros.

Em reacção à notícia do FT, a Stada não revelou o nome do outro interessado, tendo sublinhado apenas que ainda está a ponderar as suas opções e que "não é possível prever se uma oferta de aquisição da Cinven ou de outro comprador se irá materializar ou não", segundo a Reuters.

Mas entretanto a Stada emitiu uma nova nota, citada pela Reuters, a informar que a outra proposta é rival Advent International.

No mesmo documento a empresa alemã explica que o conselho executivo iniciou conversações com os interessados para perceber os seus objectivos estratégicos, bem como avaliar "potencialidades adicionais de valorização no que diz respeito ao preço de oferta".

A farmacêutica tem sido apontada, já há algum tempo, como um potencial alvo de aquisição por ser actualmente uma das poucas fabricantes independentes de genéricos. 

Além disso, o presidente executivo da empresa, Matthias Wiedenfels, já tinha afirmado no ano passado que a hipótese de colocar a Stada à venda não estava excluída.

As acções da Stada disparam 14,43% para 56,65 euros.

(Notícia actualizada às 14:42 com o nome da outra empresa interessada em comprar a Stada)



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub