Telecomunicações Oi diz que assembleia da Pharol foi irregular

Oi diz que assembleia da Pharol foi irregular

Depois de alguns accionistas, entre eles a Pharol, terem deliberado em assembleia geral extraordinária a mudança de presidência da Oi, a empresa vem agora dizer que não é uma reunião válida.
Oi diz que assembleia da Pharol foi irregular
Reuters
Alexandra Machado 08 de fevereiro de 2018 às 08:31

Em comunicado ao mercado a Oi remete para o tribunal a sua opinião de que a assembleia extraordinária convocada pela Pharol e que ontem aprovou a mudança na presidência da Oi não é válida.

 

Em comunicado a operadora do que " tomou conhecimento, nesta data, que o Juízo da 7ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Estado do Rio de Janeiro ao apreciar petição da Companhia a respeito das iniciativas adoptadas pela Bratel insistindo na realização de Assembleia convocada para o dia 7 de Fevereiro de 2018, declarou inválida e ineficaz qualquer deliberação extrajudicial que atente contra as questões já homologadas no plano".

 

E vai mais longe. Falando em "pretensa" assembleia, a Oi ameaça com acções em tribunal.

 

"A Companhia não reconhece a legalidade de tal acto e tomará as providências judiciais, administrativas e criminais cabíveis".

 

No comunicado a Oi nada diz sobre a mudança dos directores, mas ao não reconhecer a reunião dá a indicação que não acatou a deliberação continuando Eurico Teles presidente da empresa e Carlos Brandão administrador financeiro.




pub