Empresas PS pede ao Governo que reavalie concessão dos CTT

PS pede ao Governo que reavalie concessão dos CTT

Socialistas avisam que o serviço postal universal dos CTT "se degradou ao longo da vigência da concessão, feita pelo anterior governo, das responsabilidades públicas a privados.
PS pede ao Governo que reavalie concessão dos CTT
Lusa 09 de dezembro de 2017 às 21:57
O Grupo Parlamentar do Partido Socialista (PS) apresentou um projeto de resolução a recomendar ao Governo que promova uma avaliação das responsabilidades contratuais subjacentes à concessão em vigor entre o Estado e os CTT.

O PS considera que os CTT - Correios de Portugal são, para o país, "uma referência de soberania e de integração", mas avisa que o seu serviço postal universal "se degradou ao longo da vigência da concessão pelo anterior governo das responsabilidades públicas a privados, de forma imponderada e lesiva dos interesses dos portugueses".


"Essa degradação é confirmada pelo regulador, que já sinalizou, junto da empresa, os universos frágeis de operação", segundo a iniciativa legislativa, a qual considera que seria "relevante" o regulador do sector, Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM), poder desenvolver uma auditoria externa para verificação dos contratos existentes e das obrigações que os CTT devem assumir.


O grupo parlamentar do PS recomenda ao Governo que "promova a criação de um grupo informal", com o objectivo de levar a cabo uma avaliação das responsabilidades contratuais subjacentes à concessão em vigor, entre o Estado e os CTT.


"Nomeadamente as obrigações de serviço público, bem como no sentido da ponderação dos possíveis modelos, e respectivas consequências, resultantes da conclusão do contrato de concessão", sublinham os socialistas.


Os deputados do PS vão também entregar, na segunda-feira, na Comissão parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas, um requerimento para a audição de várias entidades directamente relacionadas com o sector, ou afectadas pelos seus serviços.


O PS quer a audição da ANACOM, da administração dos CTT, dos sindicatos, das comissões de trabalhadores e de utentes dos CTT, da Associação Nacional de Municípios Portugueses, da Associação Nacional de Freguesias e dos Governos Regionais dos Açores e da Madeira.




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
CTT Há 1 semana

Se o Governo em vez de cuspir para o ar, comprasse ações dos CTT em bolsa e se tornasse acionista maioritário, isso sim, seria um governo assertivo. Assim, a cuspir para o ar, sujeita-se a que o cuspe lhe caia no centro da testa...rsrsrs

Anónimo Há 1 semana

Os CTT estão na moda... pelo menos nas últimas semanas o JN não fez outra coisa senão semear artigos atrás de artigos.... a realçar todas as fragilidades... pena que quando sobe 5% é pura especulação e sem conteúdo ... que continue assim, a dizer mal e a ação a subir!!!

À Bárra Há 1 semana

Com os chineses eles na semetem a EDP por enquanto está sigura só quando o PS tiver o exército de ciganos de navalhas afiadas vão atacar a EDP

Anónimo Há 1 semana

Mais uma boa medida marxista-socialista. Um excelente sinal para os investidores estrangeiros.

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub