Aviação Airbus com encomenda histórica de 50 mil milhões de dólares por 430 aviões

Airbus com encomenda histórica de 50 mil milhões de dólares por 430 aviões

O contrato hoje assinado para fornecer mais de 400 aviões à Indigo Partners constitui a maior encomenda feita de uma só vez ao construtor europeu, permitindo-lhe superar a concorrente Boeing em número de encomendas.
Paulo Zacarias Gomes 15 de novembro de 2017 às 07:49
O fabricante europeu de aviões Airbus recebeu uma encomenda de 430 aeronaves, considerada histórica pelo sector, que ascende a 49,5 mil milhões de dólares (cerca de 42 mil milhões de euros à cotação actual). 

Em causa está a compra de aparelhos A320 neo e A321 neo, por parte da sociedade de investimento Indigo Partners, especializada no aluguer de aeronaves e liderada pelo empresário Bill Franke. Os aviões serão alugados às companhias low-cost Frontier Airlines (EUA, com 134 aparelhos), JetSMART (Chile, com 70 aparelhos), Volaris (México, com 80 aeronaves) e Wizz Air (Hungria, que voa também para Portugal, com 146 aparelhos).

Este é, segundo a Reuters - citando fontes próximas do processo -, um dos maiores negócios da indústria em termos de volume e constitui o maior número de aviões encomendados num só lote até ao momento à Airbus.

Segundo o jornal francês Le Figaro, é a encomenda mais importante até ao momento para o fabricante europeu, colocando-o à frente do seu principal concorrente, a norte-americana Boeing, com 718 encomendas ao grupo europeu contra 605 da empresa dos EUA.

A Airbus já confirmou a encomenda, divulgando no Twitter imagens da assinatura do contrato esta quarta-feira, 15 de Novembro, no Dubai Airshow. Um passo que marca também os últimos meses da passagem de John Leahy pela empresa - da qual é director comercial e que se prepara para a reforma -, tendo sido responsável por angariar encomendas de 15.000 aviões ao longo da sua carreira.






A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Johnny Há 5 dias

Mas mas mas mas mas... e o aquecimento global ? e o CO2 ?

Saber mais e Alertas
pub