Pedro Pires de Miranda
Pedro Pires de Miranda 23 de novembro de 2017 às 13:10

Um Portugal melhor

Portugal, sendo um dos países da Europa com uma das Histórias mais antigas, e certamente das mais ricas culturalmente, é também um país com menor território e população.
Neste sentido, nós Portugueses tivemos sempre os olhos postos no além mar e no além fronteiras, sabendo manter um espírito aberto e tolerante a novas culturas ao longo dos tempos. Mantivemos desde sempre uma identidade única como povo e a prova disso é a nossa Diáspora espalhada por todo o mundo que pensa na Pátria como valor maior. No meu caso, tendo vivido 17 anos no estrangeiro, primeiro como estudante e depois como profissional, nomeadamente nos Estados Unidos, em Inglaterra e na Alemanha, pude constatar como isto é bem verdade. Sem dúvida que os Portugueses da Diáspora são uma das reservas de valor universal que Portugal tem e deve usar ainda mais. Devemos fazê-lo aumentando a rede da Diáspora em todos os países. Nesta vertente é uma grande oportunidade para o País e fica aqui uma primeira ideia a desenvolver.

Noutro plano, desde a época dos Descobrimentos até à recente intervenção da famosa troika, vivemos altos e baixos, muitas dificuldades e vitórias, mas no final ainda continuamos sólidos neste pequeno recanto no Sul da Europa, onde o sol brilha, a comida encanta e a hospitalidade convida. Seremos sempre Portugueses honrando a nossa história e tradição. Mas no futuro temos de ser melhores, temos de educar e formar melhor os nossos jovens, temos de tratar melhor os nossos idosos e temos de sustentar o aumento da qualidade de vida das populações, seja na ação social seja nos cuidados de saúde aos mais desfavorecidos.

Mas mais importante que tudo é pensar num Portugal positivo e moderno, virado para a exportação, para a inovação, para o turismo sustentado e acima de tudo para a educação, onde reside o segredo das sociedades modernas bem sucedidas. É na educação que os povos marcam a diferença e progridem em relação a outros. Devemos dar muito mais importância à educação dos jovens e à formação profissional contínua da população ativa. Investir nestas áreas educacionais faz todo o sentido e devia ser um desígnio nacional...vejam o impacto geracional causado pelo programa Erasmus nos jovens Portugueses. Não há fórmulas fáceis para fazer um Portugal melhor, mas o caminho certo é o investimento nas pessoas e na educação a longo prazo. 


Artigo em conformidade com o novo Acordo Ortográfico


No âmbito do 20º aniversário do Negócios, pedimos um artigo a várias personalidades sobre ideias para o futuro de Portugal.  


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

De acordo com o texto, porém é chegada a altura de melhorar princípios e promover equidade. Os governantes têm de estar atentos ao fenómeno dos deslumbramentos e não pode esquecer o seu papel de regulador. Há muita gente não feliz e preocupada com o amanhã em que não terá uma casa decente P Viver