Conjuntura BBVA eleva para 2,6% estimativa de crescimento de Portugal

BBVA eleva para 2,6% estimativa de crescimento de Portugal

O BBVA reviu em alta as suas estimativas para o crescimento económico de Portugal para este ano e para 2018.
BBVA eleva para 2,6% estimativa de crescimento de Portugal
Miguel Baltazar/Negócios
Sara Antunes 20 de julho de 2017 às 10:17

Portugal deverá crescer mais de 2% nos próximos dois anos, prevê o BBVA, numa nota de análise publicada esta quinta-feira, 20 de Julho.

 

A economista Myriam Montañez prevê agora que o produto interno bruto (PIB) de Portugal cresça 2,6% este ano, o que compara com a anterior previsão de 1,7%. Para o próximo ano, a estimativa foi elevada para 2,3%.

 

A economista explica que esta revisão das perspectivas surge numa altura em que os indicadores de actividade têm apontado para que a economia continue a recuperar, isto depois de o primeiro trimestre do ano ter sido registado um forte crescimento económico. Além disso, prevê-se a "manutenção de condições que apoiarão a continuação da recuperação".

 

Ainda na quarta-feira, 19 de Julho, o INE divulgou indicadores que revelam que a actividade económica está em máximos de Maio 2001, o que sugere que a economia continue a registar ritmos de crescimento mais altos.

 

"Mais concretamente, a conjuntura internacional melhora graças à aceleração do crescimento mundial. A boa situação do comércio mundial e as previsões de crescimento positivas para a Europa e Espanha, recentemente revistas em alta pelo BBVA Research, continuarão a apoiar as vendas ao exterior de bens e serviços portugueses", explica.

 

Os próximos dados sobre o PIB de Portugal deverão ser conhecidos no dia 14 de Agosto, com o INE a divulgar a primeira estimativa das contas nacional do segundo trimestre do ano.

 

O BBVA junta-se assim a outras entidades que têm vindo a rever as estimativas para a economia. Uma das últimas foi a Universidade Católica que prevê agora o maior crescimento de Portugal em 17 anos.

 

E esta semana, o comissário Europeu dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici assumiu estar "impressionado" com os progressos conseguidos por Portugal, desde a sua última visita em Fevereiro deste ano. E admitiu que o produto interno bruto (PIB) nacional cresça mais de 2,5% este ano. A última previsão de Bruxelas para Portugal apontava para que a economia crescesse 1,8% este ano, valor idêntico à estimativa do Governo liderado por António Costa no Orçamento do Estado.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
José 20.07.2017

Com este crescimento já se podem baixar os subsídios, as reformas e aumentarem-se os salários de quem trabalha, ou não? Aposto que vão dizer que ainda não há condições para se pagar 600 euros de salário mínimo. Aguardemos.

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub