Economia Comissão técnica arrasa comandos e propõe criação de agência para a gestão de fogos

Comissão técnica arrasa comandos e propõe criação de agência para a gestão de fogos

A comissão técnica independente critica “a falta de hierarquias efectivas” no actual Sistema Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios, defendendo a criação da Agência para a Gestão Integrada de Fogos (AGIF), que ficaria “na dependência directa da Presidência do Conselho de Ministros”.
Comissão técnica arrasa comandos e propõe criação de agência para a gestão de fogos
Comissão técnica independente sobre os incêndios na região Centro, em Junho passado, defende a criação da Agência para a Gestão Integrada de Fogos (AGIF)
Vítor Mota/Correio da Manhã
Rui Neves 12 de outubro de 2017 às 14:30

A comissão técnica independente sobre os incêndios na região Centro, em Junho passado, concluiu que "a ‘protecção de pessoas e bens’ e a ‘gestão dos incêndios rurais’ devem autonomizar-se no âmbito da prevenção e da supressão de incêndios e constituir as duas componentes fundamentais de um sistema global que se designa de Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais (SGIFR)".

 

Isto porque "a pretensão de proceder em simultâneo à defesa da floresta contra incêndios e à defesa de pessoas e de bens, dando normalmente a prioridade à segunda, implica frequentemente um enorme desajustamento de meios, objectivos e responsabilidades, causando desequilíbrios que afectam fortemente as duas componentes", lê-se no relatório entregue esta quinta-feira na Assembleia da República.

 

A comissão presidida por João Guerreiro aponta que "uma das razões que explica que o sistema actual não tenha evoluído, ou tenha mesmo regredido, é a falta de procedimentos de avaliação", facto que "repercute-se na degradação dos resultados obtidos".

 

Assim, "a falta de hierarquias efectivas no SNDFCI [Sistema Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios], que se perde na transição entre entidades, cria ineficácias que terão que ser identificadas e resolvidas com base na avaliação do desempenho de cada entidade e agentes envolvidos".

 

Para melhorar a eficácia do sistema nacional de defesa da floresta contra incêndios, a comissão técnica defende, entre muitas outras medida, a criação de uma nova entidade que, "de forma autónoma, transversal e hierarquicamente superior, monitorize e assegure a implementação das lacunas identificadas".

A entidade, chamada de Agência para a Gestão Integrada de Fogos (AGIF), "deverá ser criada na dependência directa da Presidência do Conselho de Ministros (PCM)", propõe-se.

 

"Esta entidade garante a análise integrada do sistema, acompanha a sua articulação e é actuante no território. O seu funcionamento orienta-se para o apoio ao planeamento, à decisão e à intervenção, no âmbito dos três pilares. Avaliza junto do poder político a informação e a monitorização sobre o funcionamento do SGIFR", detalha o relatório.

 

"Para maior garantia de independência e estabilidade da Agência, é constituído um conselho técnico consultivo e de avaliação composto por peritos, sugerindo-se que a sua composição possa ser equacionada pela Assembleia da República", determina a comissão técnica.

 

 A este conselho deverá competir "a análise da actividade da AGIF e do Plano Nacional de Gestão Integrada de Fogos Rurais e pronunciar-se sobre os perfis dos recursos humanos da Agência".




(Notícia actualizada às 15:00)




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Vergonha das Polícias de baixo Nível Há 1 semana

Expectante nas Posições de Responsáveis Políticos do País, nos Chefes Partidários deste Portugal, Ação q vergonha a Farda q vestem, uma Manifestação impossível no Tempo de Passos Coelho,o Povo está Seguro Com estes Polícias? Sabemos q é ação Política, Vamos analisar o comportamento de cada Político

Mais Mamas ? Varrer com todos Há 1 semana

É varrer o Sistema implantado que vive à sombra dos incêndios, enquanto existir Gorilas a Governarem-se com os FOGOS,n vão Parar, é 1 Negócio muito Rico, sustento de muita Gente, devem investir os milhões que poupam em varrer o sistema,em Cuidar do Ambiente, torná-lo mais Saudável, menos Incêndiavel

Que palhaçada... Há 1 semana

Sai mais uma incubadora de boys, ali para a mesa da esquerda.

Do Piçalho Há 1 semana

O Instituto politenico de Castelo Branco já deve andar a formar quadros para o novo organismo e as equivalências devem ser muitas com a experiência adquirida este ano . Qualquer dia para apagar fogos é preciso o curso superior de bombeiro

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub