Política Familiares das vítimas de Pedrógão exigem demissão da cúpula da ANPC e pedido público de desculpas de Costa

Familiares das vítimas de Pedrógão exigem demissão da cúpula da ANPC e pedido público de desculpas de Costa

A Associação dos Familiares das Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande exigiu hoje ao primeiro-ministro um pedido de desculpas público e a imediata demissão de toda a cúpula da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC).
Familiares das vítimas de Pedrógão exigem demissão da cúpula da ANPC e pedido público de desculpas de Costa
Reuters
Lusa 18 de outubro de 2017 às 15:17

"Na sequência da demissão tardia da senhora ministra da Administração Interna [Constança Urbano de Sousa], exigimos a consequente demissão da presidência e do comando da ANPC. Após as 65 mortes em Pedrógão Grande, queremos também um pedido público de desculpas do senhor primeiro-ministro a todos os familiares das vítimas mortais", declarou a presidente da associação, Nádia Piazza.

Nádia Piazza falava no final de uma reunião de duas horas e meia com o primeiro-ministro, António Costa, em São Bento, na qual também esteve presente a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem.

Interrogada sobre quando o primeiro-ministro poderá assumir o pedido de desculpas públicas pelas mortes nos incêndios de Pedrógão Grande de Junho e do passado domingo, a presidente da associação respondeu: "Vamos dar esse tempo a ele".

"É uma exigência nossa, pensamos que é um acto que já podia ter acontecido. Mas, trata-se de algo pessoal, tem de partir dele [António Costa]", disse Nádia Piazza.

Nádia Piazza adiantou que a reunião com o primeiro-ministro foi "longa e cortada", durante a qual "ninguém teve pressa em discutir tudo".




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Já não acredito em ninguem Há 2 dias

Será que esta senhora não pretende criar um novo partido politico?
Será que não pretende gerir os fundos criados pelos portugueses?
Será que é apenas protagonismo?
Pelo respeito que deveria ter pelas vítimas, esteja calada!

Anónimo Há 2 dias

Têm razão, mas porquê só agora? dá que pensar...

Camponio da beira Há 2 dias

Acho bem, e a D.Patricia Gaspar até disse que Vieira do Minho e Guimarães são do distrito da Guarda....não pode continuar nestas funções, que nem conhece minimamente o País. Façam uma merceariazita para ela poder fazer alguma coisa, sem prejudicar o pais.

pub