Telecomunicações Accionistas aprovam mudanças na presidência da Oi

Accionistas aprovam mudanças na presidência da Oi

Os accionistas presentes na assembleia-geral extraordinária da Oi convocada pela Pharol aprovaram a propositura de acções contra os directores da empresa e a sua substituição, mas não houve quorum para mais nenhuma das deliberações.
Accionistas aprovam mudanças na presidência da Oi
Reuters
Alexandra Machado 07 de fevereiro de 2018 às 16:47
Os accionistas da Oi que se apresentaram esta quarta-feira, 7 de Fevereiro, na assembleia geral extraordinária convocada pela Pharol aprovaram a propositura de acções contra os directores da operadora brasileira e a sua substituição. Foi o único ponto aprovado, já que as restantes propostas tinham de reunir um quorum mínimo qualificado, não conseguido, apurou o Negócios.

As acções visam o presidente da operadora, Eurico Teles, e o director financeiro, Carlos Brandão. A proposta da Pharol era a de deliberar sobre essas acções de responsabilidade civil, "em razão de acções ilegais e violadoras do estatuto social da companhia".

A Pharol é uma das accionistas que se mostrou contra o plano de recuperação aprovado em assembleia de credores em Dezembro, que foi promovido por Eurico Teles por determinação judicial, sem ter ido a aprovação do conselho de administração da Oi. E isso tem motivado contestação da Pharol.

Agora, na assembleia-geral extraordinária foram aprovadas apenas as acções contra os gestores, não tendo sido votados os outros pontos, que careciam de maioria qualificada, que pretendiam validar ou chumbar o que foi aprovado pela assembleia de credores e homologado pelo tribunal que tem em mãos o processo de recuperação.

A Oi tem dito que a assembleia desta quarta-feira carecia de validade, até porque não era reconhecida pelo tribunal. Mas a Pharol manteve a convocação da reunião, e acabou por se realizar.

Com a aprovação das acções, segundo o jornal Valor, e já confirmado pela Pharol em comunicado, pela lei brasileira os gestores são afastados das funções. O que já levou os accionistas presentes na assembleia a escolherem o nome de outros administradores. Segundo o mesmo jornal são eles Pedro Morais Leitão (que é da Pharol), para presidente executivo, Thomas Reichenheim, para a área financeira, e Leo Simpson para director jurídico.

(Notícia actualizada às 21:26 para incluir a confirmação da informação da Pharol que emitiu um comunicado)



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Que caos de empresa 07.02.2018

É mesmo numa empresa destas que se deve investir: dividas brutais, credores à perna, recuperações judiciais, clientes em fuga, processos em tribunal, prejuizos atrás de prejuizos, aumentos de capital em vista...

Agora já percebo porque subiu tanto nestes dois dias... De certeza que quem comprou sabe o que está a fazer e vai ficar rico. É certinho.

Mas tirando Assembleias Gerais, processos em tribunal e outras burocracias muito importantes para cativar mais clientes e melhorar os resultados da empresa..., tenho apenas uma duvida: FAZ O QUÊ A PHAROL?

Agradecido.

comentários mais recentes
Agora a Oi tem, não um, mas dois presidentes! 07.02.2018

Se isto não fosse dramático para quem tem (já pouco) dinheiro na Pharol, até que seria para rir.

E andam os acionistas da Pharol a pagar a administradores para isto. Que palhaçada.

o RPG vai SHORTAR a FALIDA pharol 07.02.2018


ponham -se a PAU com a FALIDA e INSOLVENTE pharol é o RPG e a turma dele do SHORTINHO que as tão a fazer subir á 2 dias para amanhã MAMAREM bom $$$$$$$ quando se juntarem todos para as fazerm descer o problema é que ninguém os ENGAVETA

Que caos de empresa 07.02.2018

É mesmo numa empresa destas que se deve investir: dividas brutais, credores à perna, recuperações judiciais, clientes em fuga, processos em tribunal, prejuizos atrás de prejuizos, aumentos de capital em vista...

Agora já percebo porque subiu tanto nestes dois dias... De certeza que quem comprou sabe o que está a fazer e vai ficar rico. É certinho.

Mas tirando Assembleias Gerais, processos em tribunal e outras burocracias muito importantes para cativar mais clientes e melhorar os resultados da empresa..., tenho apenas uma duvida: FAZ O QUÊ A PHAROL?

Agradecido.

Saber mais e Alertas
pub