Empresas Sonae abre Sport Zone, Zippy e MO em Angola

Sonae abre Sport Zone, Zippy e MO em Angola

A Sonae garante que Angola está fora do seu radar de expansão, mas só nos últimos dias abriu três lojas de moda no país, em parceria com o grupo Zahara, que é detido por figuras gradas do regime angolano.
Sonae abre Sport Zone, Zippy e MO em Angola
Paulo Azevedo e Ângelo Paupério, co-líderes da Sonae, estão na moda em Angola.
Ricardo Castelo
Rui Neves 19 de março de 2017 às 22:00
A Sonae SR, "sub-holding" do grupo dedicada ao retalho especializado, abriu as primeiras três lojas do seu cardápio de marcas em Angola, todas elas no Xyami Lubango, centro comercial localizado nesta cidade da província da Huíla. As primeiras duas, das insígnias MO e Zippy, foram inauguradas no dia 24 de Fevereiro, e a da Sport Zone na passada sexta-feira, 17 de Março.

A chegada destas marcas portuguesas a Angola ocorre em regime de "franchising", no quadro de uma parceria com o grupo Zahara, um dos principais conglomerados económicos do país e que é detido por figuras influentes do regime angolano – um dos accionistas é o general Leopoldino do Nascimento ("Dino"), que pertenceu à Casa Militar do Presidente José Eduardo dos Santos.

Aquando da abertura da MO e da Zippy no Xyami Lubango, a Top Brands Angola – Retalho, participada do grupo Zahara, divulgou um comunicado em que revela que estão previstas novas inaugurações destas marcas na capital do país e noutras províncias. O Negócios sabe que a Sport Zone, por exemplo, também vai abrir uma loja em Kilamba.

"Estamos muito satisfeitos por poder captar novas marcas para o nosso país. Estas lojas são referências incontornáveis em Portugal e esperamos que tenham o mesmo sucesso em Angola", afirma Paulo Sousa, director executivo da Top Brands, no mesmo comunicado.

Ainda segundo esta sociedade angolana, as três lojas representaram um investimento da ordem dos 500 milhões de kwanzas (2,8 milhões de euros). O grupo Zahara detém negócios diversificados – hiper e supermercados Kero (principal concorrente da Candando, de Isabel dos Santos, que rompeu a parceria com a Sonae mas contratou quadros seus), "shoppings" com a marca Xyami e salas de cinema da insígnia Cinemax, entre outros.

A investida da Sonae SR em Angola acontece numa altura em que foi anunciada a fusão da Sport Zone com os activos na Península Ibérica da inglesa JD Sports, e quando, ainda na semana passada, os dois co-CEO da Sonae afastaram este país do radar de expansão do grupo. A Sonae não quis falar ao Negócios sobre a operação angolana.



A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
xras45 20.03.2017

O asco que isto dá, de facto !

Comprar Sonae e Continente - Nunca mais !

INVEJAPURA 20.03.2017

A pior da doença do mundo é a inveja!

Anónimo 20.03.2017

Este é o mesmo filho do Belmiro que é contra juntar se a governos e pessoas politicamente expostas? Não passa de um cinico e opportunista. Nojo.

Anónimo 20.03.2017

Os mercados de Angola em Moçambique em regime de franchising servem para escoar o produto que já não é vendido em Portugal como os que encontramos nos outlets. É uma otima estratégia e representa uma pequena parcela para o resultado final, ou seja, o risco é baixo. Bom ver a Soane a atuar em todas as frentes, sucesso garantido!

ver mais comentários
pub