Mercados Moody's: Portugal está a entrar num ciclo de redução da dívida pública

Moody's: Portugal está a entrar num ciclo de redução da dívida pública

A agência de notação financeira elogia o bom momento da economia e a execução orçamental, mas aponta o elevado nível da dívida no contexto europeu.
Moody's: Portugal está a entrar num ciclo de redução da dívida pública
Bloomberg
Patrícia Abreu 08 de fevereiro de 2018 às 10:44

O elevado nível da dívida pública é um dos factores que continua a preocupar a Moody's, mas a agência de "rating" acredita que Portugal está a entrar num  ciclo de descida do fardo da dívida.

 

"A dívida pública continua elevada, mas estamos a entrar no início do ciclo da descida da dívida", adiantou Evan Wohlmann, vice-presidente e analista sénior da Moody's, numa conferência em Lisboa. O mesmo especialista alerta, porém, que Portugal continua a apresentar um dos endividamentos mais elevados na Europa.

 

Além do elevado nível de dívida pública, Evan Wohlmann realçou ainda o endividamento do sector privado, que permanece em níveis elevados.

 

Outro dos aspectos que continua a pressionar o perfil de crédito do país tem que ver com a situação de "continuada fragilidade da banca", o que poderá afectar a "capacidade do sector para suportar o crescimento".

 

Mas, se estes são os principais desafios que a agência de notação financeira identifica, o bom momento da economia e os bons números orçamentais merecem elogios da instituição. "O desempenho orçamental excedeu as nossas expectativas", considerou o mesmo especialista.

 

Do lado da economia, a Moody's mantém um "outlook" optimista, adiantando que "o investimento vai desempenhar um papel importante no crescimento nos próximos anos".

 

Em termos gerais, a agência argumenta que a economia global está a crescer a um ritmo sincronizado, antecipando que a economia europeia cresça 2%, um ambiente que deverá manter-se robusto e suportar às exportações dos países da periferia.

 

A Moody's melhorou a perspectiva para a dívida portuguesa no passado mês de Setembro para "positiva", mas continua a avaliar o país num nível especulativo. Volta a pronunciar-se sobre o "rating" de Portugal em Abril.




pub