Empresas Trabalhadores da antiga Triumph tentam sensibilizar Governo e Presidente da República

Trabalhadores da antiga Triumph tentam sensibilizar Governo e Presidente da República

Os trabalhadores da antiga Triumph, no concelho de Loures, realizam na segunda-feira de manhã um "pequeno-almoço solidário" para sensibilizar o Governo e o Presidente da República para as consequências sociais do encerramento da fábrica, foi hoje anunciado.
Trabalhadores da antiga Triumph tentam sensibilizar Governo e Presidente da República
Alexander Schwarz, fundador da Gramax Capital, fotografado na fábrica da TGI em Loures.
Lusa 07 de janeiro de 2018 às 19:31

A fábrica da antiga Triumph (de roupa interior feminina), sediada na freguesia de Sacavém, foi adquirida no início de 2017 pela TGI-Gramax e emprega actualmente 463 trabalhadores.

 

No entanto, em Novembro, a administração da empresa comunicou aos trabalhadores que iria ocorrer um processo de reestruturação, que previa o despedimento de 150 pessoas.

 

Na sexta-feira, depois de tomarem conhecimento de que a administração tinha iniciado um processo de insolvência, os trabalhadores iniciaram uma vigília à porta das instalações para impedir a saída de material.

 

Entretanto, para segunda-feira os trabalhadores da TGI-Gramax têm agendado mais uma acção simbólica de protesto, que pretende chamar a atenção do Governo, mas sobretudo do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse à agência Lusa a delegada sindical Márcia Antunes.

 

"Será um pequeno-almoço solidário, a partir das 07:00, organizado pelos trabalhadores. O objectivo é exigir que o Governo assuma as suas responsabilidades. Gostaríamos muito de poder contar também com o senhor Presidente Marcelo", sublinhou.

 

A sincalista contou que o ambiente entre os trabalhadores "é de grande desânimo" e que apenas desejam que o Governo possa "intervir urgente" para "fazer justiça".

 

"Estamos destroçados. Temos ordenados em atraso e sentimos que a Triumph agiu de má-fé neste processo. Já sabia que este ia ser o desfecho. Aquilo que esperamos é que o Governo, que foi conivente, assuma as suas responsabilidades e nos apoie", sublinhou.

 

Na iniciativa de segunda-feira estará também presente o presidente da Câmara Municipal de Loures, Bernardino Soares.

 

A Lusa tentou contactar a administração da empresa, mas não obteve resposta.

 




pub