Educação Directores das escolas defendem ano dividido em dois semestres

Directores das escolas defendem ano dividido em dois semestres

Associação defende que em vez dos actuais três períodos, o ano seja dividido em dois semestres. Melhora a organização escolar e o rendimento dos alunos, consideram os professores. Proposta avançada pelo Correio da Manhã vai agora ser apresentada ao Governo.
Directores das escolas defendem ano dividido em dois semestres
Bruno Simão
Negócios 24 de julho de 2017 às 08:55

O ano lectivo do ensino básico e do secundário deve ser dividido em dois semestres em vez dos actuais três períodos, uma solução que, além de facilitar a organização escolar, melhoraria o rendimento dos estudantes. Trata-se de uma proposta pela Associação Nacional de directores de Agrupamentos e Escolas Públicas apresentada ao Ministério da Educação e avançada esta segunda-feira pelo Correio da Manhã.


A ideia seria que o primeiro semestre decorresse de Setembro a Fevereiro e o segundo até Junho. Nessas alturas seriam também avaliados os alunos e assim se resolveria o actual problema do desequilíbrio entre os três períodos, uns maiores do que os outros.

 

Em declarações ao Correio da Manhã, Filinto Lima, presidente da Associação, explica que um aluno com positiva nos dois primeiros trimestres, no último já não se dedica muito, porque à partida já sabe que dificilmente não passará de ano. Além da questão do rendimento escolar, está em causa o próprio trabalho das escolas, defende o responsável.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
azevedos 24.07.2017

Esta posição já tem sido defendida há bastante tempo. É muito mais equilibrada. facilita muito a organização escolar. Não podemos ter um calendário escolar em conexão com um calendário religioso.

pub
pub
pub
pub