Empresas Maior accionista investe 3 milhões para reforçar compra de acções dos CTT

Maior accionista investe 3 milhões para reforçar compra de acções dos CTT

A Gestmin já controla mais de 12% dos CTT depois de ter investido mais de 3 milhões de euros na compra de acções desde a sexta-feira passada.
Maior accionista investe 3 milhões para reforçar compra de acções dos CTT
Pedro Elias
Nuno Carregueiro 12 de janeiro de 2018 às 19:22

A Gestmin continua a comprar acções dos CTT, reforçando assim o estatuto de maior accionista da cotada dos Correios, com uma posição já superior a 12%.

 

De acordo com um comunicado à CMVM, a Gestmin comprou um total de 832 mil acções dos CTT entre as sessões de 5 a 10 de Janeiro. Nestas aquisições, a empresa de Manuel Champalimaud gastou 3,14 milhões de euros, comprando as acções a um preço médio de 3,77 euros.

 

Este investimento é superior ao efectuado pela Gestmin na semana anterior. Entre as sessões de 29 de Dezembro de 2017 e 4 de Janeiro deste ano, a empresa comprou 528.250 acções da cotada, num investimento que ficou próximo dos 2 milhões de euros.

 

Após estas compras, a Gestmin (em conjunto com as acções detidas pelos gestores ligados à empresa) passou a controlar mais de 18 milhões de acções dos CTT, que representam 12,17% do capital da empresa de correios.

 

A empresa de Manuel Champalimaud reforça assim o estatuto de maior accionista dos CTT, posição que já ocupava da forma destacada antes deste reforço.

 

Este reforço de posição começou a ser construído depois de ter sido apresentado um plano de reestruturação que pressupõe a eliminação de 800 postos de trabalho até 2020. Um plano que arrancou já este ano, com o anúncio do fecho de 22 lojas dos CTT.

 

As acções fecharam a cair 9,25% para 3,494 euros, um mínimo desde meados de Dezembro, devido às novas metas de serviço que foram determinadas pela Anacom e que os analistas dizem que têm impacto negativo na avaliação dos títulos. 




A sua opinião14
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Ciifrão 13.01.2018

Força, os CTT têm futuro. Ao contrário do que pensam os atrasados da Anacom o futuro do serviço postal não é ter muitas lojas de bairro, levar as compras feitas pela Internet será uma mina de ouro no futuro.

comentários mais recentes
CTT, RESULTADOS A 7/03/2018 14.01.2018

Resultados a 7 de Março , vão ser bons, entretanto já a cotação vai nos 4.00 euros, a GESTMIN DE CHAMPALIMAUT, reforça com mais 2 ou 3 milhões, esta semana aproveitando a baixa,, CTT c/ uma capitalização bolsista de 1.000 milhões , ações dispersas 150 milhões, cada uma vale mais de 6.00 euros

CTT, VALOR DE CADA ACAO 6.00 EUROS 13.01.2018

Capltalizacao bolsista mil milhoes, 150 milhoes de acoes dispersas facam as contas, cada acao vale mais de 6.00 euros, estao a 3.50 euros, Champalimaut, nao e doido, para fazer um reforco de 3milhoes esta semana, a fosum vendeu tudo e cairam a pique, mas vao subir e bem.

O governo ataca os CTT para desviar a atenção 13.01.2018

As esperas nos hospitais são mais graves que 15 minutos à espera de levantar a reforma.
As despesas com educação dos filhos deveria ser mais importante que a carta que chega no dia seguinte

O maluco da nacionalização 13.01.2018

Primeiro porque o 1º Ministro já disse que não nacionalizava nem pode, os CTT tem que dar lucros , essa lojinhas de bairro tem que acabar, gente que não é precisa tem que ser reformada, esperem para ver , a cotação em breve está nos 5 euros, os CTT não tem dividas, como muita Empresas.

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub