Outros sites Cofina
C-Studio
Mais informações

C•Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do universo Cofina.
Aqui as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Notícia

Crédit Agricole quer dinamizar mobilidade sustentável na Europa

Grupo financeiro anuncia estratégia de negócio para responder às mudanças em curso no mercado da mobilidade e nos hábitos de consumo. Acordo com Stellantis abre caminho para liderança nos serviços financeiros para o mercado europeu. Banco Credibom inova no mercado de usados em Portugal.

15 de Dezembro de 2022 às 09:34

Até 2025, um em cada dois veículos financiados pelo Grupo Crédit Agricole será elétrico ou híbrido. Por sua vez, a pegada de carbono da atividade de crédito automóvel será reduzida em 50% até 2030. Estes são dois dos objetivos sublinhados por Stéphane Priami, CEO do Crédit Agricole Consumer Finance, que esteve em Lisboa para apresentar a estratégia de negócio até 2025.

 

O responsável do grupo, que detém o Banco Credibom e o portal Pisca-Pisca.pt em Portugal, sublinhou a aposta em ganhar a liderança do mercado europeu de mobilidade com soluções inovadoras que incentivam a sustentabilidade e respondem à evolução das necessidades dos consumidores.

 

Para Stéphane Priami, a aposta na mobilidade sustentável está inserida numa resposta global do grupo à evolução das expectativas e das necessidades da sociedade. O foco do Crédit Agricole Consumer Finance na promoção da sustentabilidade estende-se ao financiamento das necessidades de transição e eficiência energética das casas, bem como ao crédito ao consumo de bens duráveis, reparáveis e recicláveis, numa lógica de economia circular. "Procuramos privilegiar uma abordagem responsável e sustentável ao consumo", refere.

 

Consumidores querem apenas usar os veículos
No domínio da mobilidade, "existe uma tendência muito clara por parte dos consumidores para privilegiar cada vez mais a utilização em detrimento da propriedade dos veículos", informa o responsável. Uma tendência que se está a acentuar com os veículos elétricos e híbridos. Neste contexto, o leasing será cada vez mais uma opção para os particulares, assim como o aluguer de curta duração e o carsharing, sempre em função das suas necessidades específicas: as férias, o fim de semana, a visita, a mudança.

 

Por outro lado, e segundo Carlos Tavares, CEO da Stellantis, em breve um terço das viaturas será adquirido inteiramente na Internet, o que coloca desafios aos sistemas e processos que suportam o financiamento e o crédito automóvel. Acresce que o mercado europeu da mobilidade está em plena mutação, com a emergência de grandes redes de distribuição multimarca, e a chegada à Europa dos veículos dos novos fabricantes asiáticos, numa vaga semelhante à das marcas japonesas há 40 anos.

"A característica mais notável do mercado português da mobilidade é o dinamismo e a sofisticação do mercado de usados" Gilbert Ranoux, CEO do Banco Credibom 

Acordo com Stellantis é peça-chave
Neste contexto, o recente acordo com a Stellantis surge como uma peça-chave na estratégia para posicionar o Crédit Agricole como beneficiário destas mudanças no mercado europeu. A constituição de uma joint venture entre as duas entidades vai combinar as empresas Leasys e Free2move para criar uma nova empresa que entra diretamente para o top cinco das maiores empresas europeias de aluguer de longa duração, com presença em 10 países e a ambição de vir a gerir um milhão de veículos em 2026. Para o CEO, "esta joint venture vai ser um importante vetor da transição energética e ecológica da mobilidade para profissionais e para particulares. Vamos ter uma oferta simples, completa e inovadora, que vai facilitar o acesso a veículos com melhor performance ambiental."

 

Ainda no âmbito deste acordo, o Crédit Agricole adquiriu o FCA Bank (ex-braço financeiro da Fiat) e a Leasys Rent (atual Drivalia). Desta forma, o grupo ganha uma dimensão verdadeiramente europeia nos mercados do crédito automóvel, do leasing, e da mobilidade, com o objetivo de lançar soluções multimarca, inovadoras, sustentáveis e digitais para todo o mercado europeu. Com presença em 18 países, o objetivo é atingir os 10 mil milhões de euros de volume de negócios nos próximos quatro anos.

 


Credibom inova no mercado de usados
Sobre o mercado automóvel português, Gilbert Ranoux, CEO do Banco Credibom, assume que a transição energética se irá processar com algum atraso em relação a outros países europeus. Para 2025, os estudos projetam que 9% do parque automóvel nacional será constituído por veículos elétricos ou híbridos, quando em França estes representarão já 20%. No entanto, no final deste ano, o financiamento dirigido a este tipo de veículos representava já 15% do financiamento da Credibom para veículos novos.

 

"A característica mais notável do mercado português da mobilidade", segundo este responsável, "é o dinamismo e a sofisticação do mercado de usados". Os usados representam 90% do crédito automóvel concedido pela Credibom, que detêm um dos principais portais de compra e venda de usados: o Pisca-Pisca.pt. Com 40 mil viaturas para venda e 700 mil visitas por mês, o PiscaPisca.pt é considerado pelo Grupo Crédit Agricole como um caso de sucesso a replicar em outros mercados. Para breve, está previsto o lançamento de um PiscaPisca "verde" direcionado para dinamizar o mercado de veículos elétricos e híbridos usados, bem como o respetivo ecossistema de serviços e infraestruturas, numa iniciativa pioneira ao nível do grupo.

 

Grupo distinguido por espírito de serviço e procura de soluções
Para Gilbert Ranoux, a base de sucesso do portal é a confiança que incute nos consumidores e as parcerias que a Credibom foi capaz de construir com os concessionários e a sua associação (APDCA). Aliás, esta seriedade e capacidade de dar uma boa experiência e encontrar soluções por parte do banco tem sido distinguida, em Portugal, com prémios como o "Cinco Estrelas" e o "Escolha do Consumidor".

De forma geral, considera o responsável máximo pelo Banco Credibom, "tem sido a seriedade, a capacidade de aconselhamento e de encontrar soluções, mesmo em tempos difíceis, que tem permitido ao banco continuar a crescer em volume e em quota de mercado". No final deste ano, com uma quota de mercado de 11% no crédito ao consumo, e de 21% no crédito automóvel, o Banco Credibom chegará perto dos mil milhões de euros em financiamento atribuído em Portugal.

"A joint venture com a Stellantis vai ser um importante vetor da transição energética e ecológica da mobilidade para profissionais e para particulares"  Stéphane Priami, CEO Crédit Agricole Consumer Finance